Papel das startups na inovação das grandes empresas vai estar hoje em debate (com áudio)

Conferência vai abordar os ecossistemas de inovação em Portugal, a forma como as grandes empresas gerem os processos de inovação e os desafios que se colocam às startups.

As startups têm conhecido um papel cada vez mais proeminente no processo de inovação, por si só, como forma de cristalização do empreendedorismo, através da criação de produtos e serviços e da abertura da possibilidade de exploração de novos mercados, mas também como caminho alternativo para as grandes empresas explorarem a evolução tecnológica e procurarem ganhar vantagens competitivas num mercado em constante mudança.

A pressão para inovar cria a necessidade de parcerias para encontrar novo talento, novas formas de trabalhar e, também, uma cultura empresarial ágil, mais aberta à experimentação.

O ecossistema português de startups tem ganho notoriedade, representando já 1,1% do produto interno bruto português, segundo dados da Estrutura de Missão Portugal Digital. Em 2021, estavam registadas na Startup Portugal 2.150 startups, já responsáveis por 25 mil empregos. Dados da Dealroom, relativos a 202, referem que Portugal tem um número de startups per capita 13% superior à média europeia, tendo sido berço para sete unicórnios, empresas avaliadas em mais de mil milhões de dólares (cerca de 959 milhões de euros).

Portugal é, também, apontado como estando na 12ª posição no ranking dos países mais inovadores da União Europeia, e surge, ainda, no 12º lugar na lista dos ecossistemas emergentes.

É este contexto da conferência “Startups: o motor de inovação do mundo corporate”, promovida pela Microsoft Portugal e da qual o Jornal Económico é media partner, que vamos abordar a importância das startups para as grandes empresas e a forma como estas as integram no seu processo de inovação.

A conferência “Startups: o motor de inovação do mundo corporate”, que será transmitida esta quinta-feira, 23 de junho, a partir das 10h00, contará com a participação de Diogo Pinto Sousa, diretor executivo para ‘Small, Medium and Corporate Markets’ da Microsoft Portugal; Ana Casaca, ‘global head’ de Inovação da Galp; João Diogo, ‘head’ de Retalho da Galp; e Vasco Portugal, cofundador e CEO da Sensei.

Nesta conferência, vamos procurar saber qual é o estado da arte da inovação em Portugal e como se criam e desenvolvem os ecossistemas, ou seja, como os problemas encontram a oferta de soluções. Com o testemunho e a opinião dos quatros convidados, vamos falar sobre o processo de inovação nas grandes empresas – interno e externo –, a relação que procuram com as startups, mas, também, conhecer os principais desafios que se colocam ao empreendedorismo e à inovação.

A conferência “Stratups: o motor de inovação do mundo corporate” é transmitida através da plataforma Microsoft Events, em mktoevents.com, e estará acessível ao público mediante registo. Será noticiada pelo Jornal Económico em www.jornaleconomico.pt e, também, na próxima edição impressa.

 

Relacionadas

Presidente da Spain Startup: “Admiro muito o trabalho que estão a fazer na inovação em Portugal”

Depois do Brasil e de Madrid, a South Summit faz as malas para Bilbao, onde vai receber startups e investidores entre os dias 10 e 11 de novembro. María Benjumea conta ao Jornal Económico que encontrou o Presidente Marcelo em Salamanca e deu-lhe os parabéns pelo compromisso nacional com o empreendedorismo.

Israelitas criam centro de investigação em Lisboa e estão a contratar

Numa primeira fase, a empresa procura programadores e gestores de software especializados com experiência em Java, Angular, JavaScript, bem como outros profissionais de TI altamente especializados, que possam desenvolver novas funcionalidades para a plataforma de inteligência artificial da empresa.

Solução para crise do talento não está em criar mais cursos

Portugal tem problemas estruturais que tendem a agravar-se com a mudança. Digitalização e automação estão a lançar grandes desafios às empresas e o das pessoas é o maior.
Recomendadas

PremiumEmpreendedores aceleram inovação nas grandes empresas

Portugal tem um enquadramento propício ao empreendedorismo, que é aproveitado pelas corporações para acelerarem os seus processos de inovação. Projeto da Galp com a Sensei para o retalho é um exemplo deste tipo de parceria.

Premium“A prazo, todos pagamos” problema da precariedade, diz Renato do Carmo

Precariedade impacta a sustentabilidade da Segurança Social e retira o papel de inclusão social ao trabalho, defende o investigador.

Sensei quer ser maior player mundial em lojas autónomas – Vasco Portugal

Conferência “Stratups: o motor de inovação do mundo corporate” contou também com a participação de Ana Casaca, Global Head of Innovation da Galp; João Diogo, Head of Retail da Galp; e Diogo Pinto Sousa, diretor-executivo para Small Medium and Corporate Markets da Microsoft Portugal.
Comentários