Paquete Funchal vendido por 3,9 milhões de euros

O leilão tinha um valor inicial de 2,3 milhões de euros e foram recebidas quatro ofertas, acabando por ficar na posse dos britânicos da Signature Living que não quiseram dar detalhes sobre as suas intenções para o histórico paquete Funchal.

O navio Funchal foi hoje vendido em hasta pública ao grupo hoteleiro britânico Signature Living por 3,910 milhões de euros, após uma disputa renhida com um consórcio luso-francês.

O leilão tinha um valor inicial de 2,3 milhões de euros e foram recebidas quatro ofertas, acabando por ficar na posse dos britânicos da Signature Living que não quiseram dar detalhes sobre as suas intenções para o histórico paquete Funchal.

O representante do grupo, que esteve hoje na hasta pública que decorreu a bordo do navio, que está atracado no Cais da Matinha, em Lisboa, desde 2 de janeiro de 2015, declarou apenas que o Funchal vai ser levado para Inglaterra e que esta é a primeira embarcação adquirida pela Signature Living.

O valor da venda remete para a massa falida, sendo que o Paquete deixou uma dívida que só ao Montepio Geral é quase 10 vezes superior ao valor da venda.

O Paquete está atracado desde 2015 na sequência da insolvência das empresas de cruzeiros de Rui Alegre. Só os créditos reconhecidos em sede de insolvência da sociedade detentora do navio, a Pearl Cruises, totalizam 34 milhões de euros, estando maioritariamente ancorados no Montepio.

Há duas semanas, um trabalho da SIC avançava que o Montepio Geral terá financiado em cerca de 150 milhões de euros o projeto de Rui Alegre, mais de metade desse valor sem quaisquer garantias.

(atualizada)

Recomendadas

TAP: Sindicato fala em adesão total à greve de tripulantes até às 08:30

“O balanço é prematuro, uma operação da TAP inicia-se por volta das 05:30 da manhã, o que sabemos até à data é que nenhum voo saiu sem ser serviços mínimos ou Portugália, portanto até agora a adesão é total”, disse à Lusa o presidente do SNPVAC, Ricardo Penarroias, no aeroporto de Lisboa, cuja operação, às primeiras horas da manhã, funcionava dentro da normalidade.

Ocean Winds vence leilão e vai desenvolver projeto eólico offshore flutuante até 2 GW na Califórnia

A Ocean Winds – um consórcio da EDP Renováveis e da francesa Engie – e o Canada Pension Plan Investment Board vão desenvolver um projeto eólico offshore ao largo da costa central da Califórnia, comunicou esta manhã a EDP à CMVM. Em causa está uma licença com direitos de gestão de 32,5 mil hectares naquela área.

EDP conclui venda da central hidroeléctrica de Mascarenhas no Brasil

Com esta transação, a EDP reduz o peso da geração convencional e, nomeadamente, da exposição hídrica no Brasil, em linha com o plano estratégico 2021-2025 apresentado ao mercado em fevereiro de 2021.
Comentários