Paris, Madrid e Colónia lideram no regresso ao escritório na Europa

A taxa média de ocupação de escritórios na Europa no mês de junho foi de 43%, quando antes da pandemia era de 70 a 75%.

A consultora Savills divulgou, esta terça-feira, uma análise que dá conta das cidades onde o regresso ao teletrabalho foi mais elevado na Europa.

Segundo a referida análise, “a zona CBD de Paris (54%) e as cidades de Madrid (52%) e Colónia (47%) foram os mercados que registaram as taxas ocupação de escritórios mais elevadas da Europa, no mês de junho de 2022”.

A taxa média de ocupação de escritórios na Europa durante este intervalo temporal foi de 43%, a maior percentagem desde fevereiro de 2020. Antes da pandemia a ocupação dos escritórios situava-se entre os 70-75%, aponta a Savills.

“As diferenças verificadas em termos de taxas de ocupação de escritórios na Europa devem-se a vários fatores”, refere a consultora, dando como exemplo, “o valor relativamente alavancado por uma maior proporção de vida no centro da cidade e, consequentemente, por deslocações mais curtas para o local de trabalho”.

“Na Alemanha, o número de pessoas a trabalhar remotamente no período pré- pandemia, era inferior ao de outros mercados da Europa Ocidental e a cultura do local de trabalho do país conduziu a um regresso mais rápido ao escritório”, explica a Savills.

Mike Barnes, Associate Director da European Research, Savills, afirma que “as taxas de ocupação de escritórios na Europa continuaram com uma trajetória ascendente no mês de junho”, apesar de ser “necessário algum tempo até se verificar uma estabilização deste indicador”.

Por sua vez, Tim Bretten, Director da Cross Border Property Management EMEA, Savills, refere que “em todos os mercados de escritórios analisados, a terça e quarta-feira são os dias com os níveis de ocupação mais elevados, com a taxa a cair cinco pontos percentuais à segunda e quinta-feira sendo que, a sexta-feira, é o dia menos popular entre os ocupantes”.

Matthew Fitzgerald, Director da EMEA Cross Border Tenant Advisory, Savills, acrescentou que “as empresas procuram ocupar um espaço de maior qualidade em áreas mais centrais, com o objetivo de atrair e manter talento assim como criar um melhor ambiente de trabalho que cumpra os objetivos de ESG”.

Recomendadas

PremiumGestores bancários sem tarimba a gerir períodos inflacionários

Estudo sobre o sector bancário europeu feito pela consultora estratégica Oliver Wyman considera que as instituições financeiras podem não estar preparadas para os impactos do aumento da inflação e do abrandamento da economia na atividade.

Alojamento local em expansão no Douro ajuda a diversificar oferta turística

O alojamento local no Douro está em expansão e contribui para a diversificação da oferta turística neste território, existindo atualmente 714 unidades em atividade.

TAP nega acusação do sindicato dos pilotos e diz que gasta menos com alugueres face a 2018 e 2019

O Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) acusou, esta quarta-feira, a gestão da TAP de “desperdiçar” as receitas do verão com “milhões de erros” ao longo do ano, como a contratação externa de serviços.
Comentários