Parlamento Europeu aprova novas leis dos mercados e serviços digitais

As plataformas em linha — como redes sociais e mercados — terão de tomar medidas para proteger os seus utilizadores de conteúdos e bens ilegais.

O Parlamento Europeu aprovou esta terça-feira, em Estrasburgo, a Lei dos Serviços Digitais e a Lei dos Mercados Digitais, que obrigam as empresas ‘online’ a proteger os utilizadores de conteúdos ilegais e aumentam a responsabilização dos gigantes tecnológicos.

Propostas pela Comissão Europeia em dezembro de 2020, estas duas diretivas foram aprovadas hoje por larga maioria – a Lei dos Serviços Digitais com 539 votos a favor, 54 contra e 30 abstenções, e a Lei dos Mercados Digitais com 588 votos a favor, 11 contra e 31 abstenções -, depois dos acordos alcançados pelos negociadores do Parlamento e do Conselho (Estados-membros) em abril e março passados, respetivamente.

No âmbito da Lei dos Serviços Digitais, as plataformas em linha — como redes sociais e mercados — terão de tomar medidas para proteger os seus utilizadores de conteúdos e bens ilegais.

As plataformas e serviços em linha de grande dimensão estarão sujeitos a obrigações mais rigorosas, proporcionais aos riscos que representam para a sociedade, e as grandes empresas de tecnologia terão de ser mais transparentes relativamente às suas operações e agir para evitar a propagação da desinformação e os efeitos adversos sobre os direitos fundamentais.

A publicidade direcionada será restringida e os “padrões obscuros” e outras práticas enganosas serão proibidos.

Já a Lei dos Mercados Digitais concentra-se nas práticas desleais utilizadas pelas maiores plataformas em linha que atuam como “gatekeepers” no mercado digital, tais como redes sociais, aplicações de mensagens instantâneas e motores de busca.

O objetivo é estabelecer condições equitativas para encorajar o crescimento e a inovação, bem como uma maior escolha para os utilizadores.

A aprovação deste pacote legislativo para os serviços digitais já foi saudada pela Comissão Europeia, segundo a qual a UE passa a dispor de “uma regulamentação forte e ambiciosa das plataformas em linha”.

“A Lei dos Serviços Digitais permite a proteção dos direitos dos utilizadores em linha. A Lei dos Mercados Digitais cria mercados em linha justos e abertos”, resumiu a vice-presidente executiva Margrethe Vestager.

Recomendadas

“Intervenção policial quase inexistente”. IL quer esclarecimento sobre distúrbios em Guimarães

O grupo parlamentar questiona “o Senhor Ministro da Administração Interna, que foi, aliás, cabeça de lista pelo PS no círculo de Braga nas eleições legislativas de Janeiro passado, mas também da Ministra Adjunta e dos Assuntos Parlamentares, que tutela o Desporto”.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quarta-feira, 10 de agosto

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcaram o dia informativo desta quarta-feira.

Chega diz que responsabilidade por resposta aos distúrbios em Guimarães é do Governo

O Chega quer que o ministro da Administração Interna venha “a público dar os devidos esclarecimentos sobre os acontecimentos de ontem”.
Comentários