Parlamento Europeu e Estados-membros chegam a acordo sobre orçamento da UE para 2015

O Parlamento Europeu (PE) e o Conselho da União Europeia chegaram a acordo em relação ao orçamento comunitário para 2015, com um cabimento de 141,2 mil milhões de euros para pagamentos e 145,3 mil milhões em autorizações O acordo foi conseguido após meses de negociações e a rejeição de uma primeira versão do orçamento, tendo […]

O Parlamento Europeu (PE) e o Conselho da União Europeia chegaram a acordo em relação ao orçamento comunitário para 2015, com um cabimento de 141,2 mil milhões de euros para pagamentos e 145,3 mil milhões em autorizações

O acordo foi conseguido após meses de negociações e a rejeição de uma primeira versão do orçamento, tendo a Comissão Europeia avançado com uma segunda proposta no dia 28 de novembro, com cortes e de 800 milhões nas dotações de pagamentos e de 400 milhões nas dotações de autorização.

Em relação aos retificativos para este ano, há uma verba de quatro mil milhões de verbas adicionais para pagar faturas já vencidas.

O acordo hoje alcançado “melhora significativamente a posição inicial do Conselho e impede o colapso orçamental da União Europeia (UE)”, uma vez que evita que se recorra a um sistema de duodécimos, salientou, em comunicado, o eurodeputado José Manuel Fernandes (PSD), que integra a Comissão dos Orçamentos do PE.

O deputado europeu, que esteve envolvido nas negociações, salientou ainda que “as três instituições da UE acordaram desenvolver um plano de pagamentos para resolver o problema das faturas já vencidas, já que no final deste ano estima-se que o seu montante rondará os 23 mil milhões de euros”.

O acordo saído dos trílogos (reuniões que juntam parlamento, conselho e comissão) será formalmente aprovado na próxima sessão plenária do PE, que se inicia dia 15.

OJE/Lusa

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta terça-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta terça-feira.

Metade do tráfego aéreo nacional está fora de Lisboa, lembra Secretária de Estado do Turismo

A secretária de Estado do Turismo pediu aos empresários que não baixem braços enquanto continua a discussão em torno do novo aeroporto para a capital, elogiando ainda o trabalho de angariação de rotas que foi feito durante a pandemia pelo Turismo de Portugal.

Banco de Portugal. “Espera-se que haja arrefecimento da atividade económica”

“É de esperar que o aumento da inflação e taxas de juro traga redução do rendimento disponível das famílias e que os níveis de consumo terão que ser reduzidos”, reconheceu o novo administrador do Conselho de Administração do Banco de Portugal (BdP), Rui Miguel Correia Pinto.