Parlamento polaco aprova extinção de órgão judicial criticado pela União

O parlamento polaco aprovou a extinção de um controverso órgão disciplinar do Supremo Tribunal da Polónia que o governo de direita tem usado como arma de punição.

O parlamento polaco aprovou esta quinta-feira a extinção de um controverso órgão disciplinar do Supremo Tribunal da Polónia que o Governo de direita tem usado para punir magistrados críticos e que foi condenado pela União Europeia (UE).

O executivo polaco espera que a votação ponha fim à sua disputa com a UE, abrindo caminho a um acordo para o pagamento por Bruxelas de milhares de milhões de euros de fundos de recuperação congelados à Polónia.

O primeiro-ministro polaco, Mateusz Morawiecki, disse no parlamento, antes da votação, que se espera que a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, assine o acordo em Varsóvia a 02 de junho.

As novas normas judiciais precisarão ainda da aprovação do Senado e do Presidente da República polaco, Andrzej Duda, que é o seu principal autor.

Desde que a Polónia se assumiu como disponível para receber todos os refugiados oriundos da Ucrânia, que as relações com a cúpula da União Europeia têm claramente vindo a melhorar.

Recomendadas

Israel abateu três drones do Hezbollah no Mediterrâneo

O exército israelita afirmou hoje que abateu três drones do grupo xiita libanês Hezbollah e que se dirigiam a um campo de gás no Mediterrâneo, numa área marítima disputada pelos dois países.

Manifestações pelo direito ao aborto reúnem milhares em França

Várias manifestações ocorreram hoje em França em defesa do direito ao aborto e para manifestar apoio às mulheres norte-americanas, depois da decisão, na semana passada, do Supremo Tribunal dos Estados Unidos, de revogar esse direito.

Marcelo parte para São Paulo ainda sem “comunicação por escrito” de Bolsonaro

O chefe de Estado português afirmou hoje, antes de partir do Rio de Janeiro para São Paulo, que continua sem receber nenhuma “comunicação por escrito” do Presidente do Brasil a cancelar o almoço de segunda-feira em Brasília.
Comentários