Parpública vai poder amortizar a dívida em mais de 950 milhões

Esta amortização está prevista na versão preliminar do OE 2020. A ‘holding’ estatal encerrou primeiro semestre com dívida financeira consolidada de cerca de 1,5 mil milhões de euros.

TAP Portugal

A ‘holding’ estatal Parpública vai poder amortizar a sua dívida em mais de 950 milhões de euros, mais exatamente 951,371 milhões de euros, durante o próximo ano, de acordo com a proposta preliminar de Orçamento de Estado para 2020, a que o Jornal Económico teve acesso.

De acordo com o relatório e contas da empresa, referente ao primeiro semestre deste ano, no final de junho a Parpública apresentava uma dívida financeira consolidada de cerca de 1,5 mil milhões de euros.

Se esta transferência autorização pelo OE 2020 foi utilizada na íntegra, a dívida da ‘holding’ estatal seria abatida no próximo ano em cerca de dois terços do seu montante total.

A Parpública conta com participações de referências em empresas como a a TAP, Águas de Portugal, Baía do Tejo (parques empresariais), Simab (mercados abastecedores), Companhia das Lezírias, Circuito Estoril e INCM – Imprensa Nacional- Casa da Moeda, entre outras.

Recomendadas

CMVM: “É notório o crescimento da divergência dos padrões de poupança das famílias portuguesas”

“A poupança de longo prazo exige disciplina e empenho além de, naturalmente, um nível de rendimento que permita poupar. Esta combinação de condições ajuda a explicar o baixo nível de poupança em Portugal e em outros países que nos são próximos”, reconhece Rui Pinto.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta terça-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta terça-feira.

Novobanco pesou 37,6% do dinheiro injetado pelo Estado na banca desde 2008 até 2021

A CGD beneficiou de 5.458 milhões de euros; o BES/Novobanco recebeu 8.291 milhões (valor do saldo negativo para o Estado); o BPN consumiu 6.146 milhões; o BPP beneficiou de 268 milhões e o Banif 2.978 milhões. Isto são as causas para o saldo desfavorável para o Estado que soma 22.049 milhões de euros.
Comentários