Parte da recapitalização da CGD avança este ano

A conversão de CoCo´s em capital, no valor de 960 milhões de euros, e a transferência de 50% da ParCaixa, avaliada em 500 milhões, podem avançar este ano.

Jose Manuel Ribeiro/Reuters

António Domingues e os administradores que apresentaram a carta de demissão (sete ao todo) comprometeram-se a ficar até ao fim do ano, mas a escolha da nova administração em tempo recorde poderá acelerar a saída dos administradores demissionários.

De qualquer maneira o Plano de Recapitalização avança a passos largos. Esta equipa ainda pode conduzir a conversão de 960 milhões de capital contingente (CoCo’s) em capital do banco, assim como a passagem da ParCaixa para a CGD, avaliada em 500 milhões de euros.

Pois a obrigatória luz verde do Banco Central Europeu à idoneidade dos novos gestores poderá demorar semanas.

O aumento de capital com injeção de dinheiro do Estado de até 2,7 mil milhões só deverá avançar na segunda quinzena de março, após a apresentação de resultados anuais da CGD. Ao mesmo tempo é feita a emissão de 500 milhões de euros em obrigações subordinadas (de elevada subordinação) – que é parte do programa acordado com Bruxelas e que é de 1.000 milhões de euros.

O valor exato do Plano de Recapitalização será determinado após a auditoria da Deloitte que determina o nível de imparidades a constituir.

António Domingues alterou o modo como as imparidades são calculadas, criando um maior valor para elas (e desvalorizando o crédito). Como as imparidades são refletidas em capital, um aumento de imparidades implica uma diminuição de capital, e como ao mesmo tempo a Caixa tem de manter um rácio de capital mínimo (capital sobre ativos ponderados) tudo isto se conjuga para o enorme aumento de capital que está a ser proposto.

O auditor de sempre da CGD, a Deloitte, teve ordem para maximizar imparidades para crédito para justificar um aumento de capital significativo. O que já afetou o BCP, pois se a Deloitte é o auditor da Caixa e do BCP então os resultados de determinação de imparidades tendem a ser semelhantes num e noutro banco. O banco liderado por Nuno Amado teve de registar imparidades de 870,2 milhões de euros entre Janeiro e Setembro, um agravamento de 41,8% em relação ao período homólogo, pelo facto de ter o mesmo auditor que a CGD. Segundo fontes ligadas ao processo, em dezembro as imparidades da CGD aumentaram muito face a setembro, de forma a justificar um aumento de capital o mais próximo possível do teto máximo definido no acordo com Bruxelas.
Depois de definido o aumento de capital a DG Comp europeia é chamada a avaliar o Plano de Recapitalização definitivo da CGD.

Recomendadas

Espanhóis endinheirados invadem gestoras de fortuna com pedidos sobre como pôr o dinheiro em Portugal

Segundo o jornal espanhol Expansión, os bancos espanhóis estão a ser inundados com pedidos de análise e informação sobre os efeitos da mudança de residência fiscal e transferência de parte (ou totalidade) do património para outras jurisdições incluindo Portugal, devido aos aumentos de impostos que estão a ser implementados pelo governo espanhol.

Site e aplicação do BCP com acesso limitado

A aplicação móvel e o site do banco estão com acesso limitado esta segunda-feira. Fonte oficial confirma ao JE que o problema “está diagnosticado e o serviço deve ser restabelecido dentro em breve”.

APB promove Open Day na banca para ensinar jovens a poupar e investir

“Ao longo da semana, iremos realizar dois webinars destinados aos alunos do ensino secundário e profissional sobre as opções de investimento disponíveis para quem quer começar a investir e os cuidados a ter na contratação destes produtos online”, anuncia a Associação Portuguesa de Bancos.
Comentários