Brasil. Partido de Bolsonaro não reconhece resultado e aguarda por relatório do Exército

O presidente do Partido Liberal (PL), do Presidente Jair Bolsonaro, afirmou hoje que está a aguardar pelo relatório do Exército às eleições presidenciais brasileiras de 30 de outubro para reconhecer o resultado.

“Vamos aguardar o relatório do Exército amanhã. É importante para todos nós”, disse Valdemar Costa Neto, em conferência de imprensa, em Brasília.

O responsável pelo partido que apoia Jair Bolsonaro disse esperar que o relatório que o Ministério da Defesa anunciou que será divulgado na quarta-feira, terá “alguma coisa”.

“Eles vão trazer alguma coisa, não tenho dúvidas”, disse Neto, acrescentando que depois vão “aguardar a posição do Presidente” e pedir respostas junto do Tribunal Superior Eleitoral.

“Bolsonaro é o nosso capitão, nós vamos segui-lo no que for preciso”, prometeu, dizendo, contudo, que o Presidente “só vai questionar se tiver algo na mão”, o que não existe.

Em relação aos manifestantes que apoiam Jair Bolsonaro, e que permanecem acampados nos portões de alguns quartéis do Exército, pedindo uma intervenção militar e recusando aceitar o resultado eleitoral, merecem o apoio de Valdemar Costa Neto.

“Dentro da lei têm o nosso apoio, todos têm direito de protestar”, disse o presidente do PL, criticando, contudo, os bloqueios de estrada que se verificaram logo a partir da madrugada após as presidenciais.

Luiz Inácio Lula da Silva ganhou as eleições presidenciais de domingo por uma margem estreita, recebendo 50,9% dos votos, contra 49,1% para Jair Bolsonaro, que procurava um novo mandato de quatro anos.

Lula da Silva assumirá novamente a Presidência do Brasil em 01 de janeiro de 2023 para um terceiro mandato, após ter governado o país entre 2003 e 2010.

Recomendadas

Procuradoria-Geral do Irão anuncia fim da ‘polícia da moralidade’

O Irão vive protestos generalizados desde 16 de setembro, após a morte sob custódia policial da jovem curda Mahsa Amini, de 22 anos, que havia sido detida justamente pela polícia da moralidade por supostamente usar o véu islâmico de forma inadequada.

Pentágono diz que EUA enfrentarão anos decisivos em confronto com China

“A China é o único país que garante em simultâneo a vontade, e um crescente poder, para reformular a sua região e a ordem internacional para garantir a suas opções autoritárias”, considerou Austin. “Deixem-me ser claro: não deixaremos que isso aconteça”, declarou.

Irão executa quatro pessoas alegadamente espiões ao serviço de Israel

Os membros daquela rede roubaram e destruíram propriedade privada e pública e raptaram indivíduos e os interrogaram, acrescentou a IRNA, de acordo com a qual, o grupo tinha armas e recebia salários da Mossad, sob a forma de criptomoedas.
Comentários