Partido Socialista pretende aumentar o complemento social de idoso e abono de família

Estas medidas fazem das promessas socialistas para a próxima legislatura e visam mitigar a desigualdade social, um dos quatro pilares do seu programa eleitoral e podem já ser consultadas no site do partido.

O Partido Socialista (PS) já definiu duas promessas para a próxima legislatura que passam pelo aumento do complemento social de idoso (CSI) e do abono de família, segundo revela o “Jornal de Notícias” esta quinta-feira, 20 de junho.

Estas medidas visam mitigar a desigualdade social, um dos quatro pilares do programa eleitoral socialista e podem já ser consultadas no site do partido. O programa será totalmente estruturado e assente em quatro desafios: a desigualdade, as alterações climáticas, a demografia e a sociedade digital.

Cada um destes tema vai ser alvo de uma convenção, que terá sempre lugar a um sábado (até ao próximo dia 6 de julho), sendo que serão colocadas online as respetivas promessas na quarta feira seguinte. No último sábado teve lugar, em Viseu, o debate sobre a desigualdade, pelo que esta quarta-feira perto da meia-noite o PS libertou online o referido projeto.

Dentro do tema da desigualdade existem ainda quatro áreas: “os rendimentos e erradicação da pobreza, a Educação e qualificação, a não discriminação e promoção da igualdade de género e a coesão territorial”, explicou João Tiago Silveira, coordenador do programa eleitoral do PS.

“É no âmbito dos rendimentos e erradicação da pobreza que surge o aumento do abono de família e do CSI”, avançou, explicando que “o novo limiar da linha de pobreza ainda será definido”, referiu.

O complemento social de idoso é a diferença entre a pensão recebida por um idoso e o valor que é definido para o limiar de pobreza. Em 2017, por exemplo, quem auferisse menos do que 5.607 euros por ano (467 euros por mês) estava abaixo desse limiar.

O Governo está atualmente a pagar, tendo em conta um limiar de pobreza de 5.258 (438 euros). Ou seja, concede um CSI que permita ao idoso auferir mensalmente este valor. Se tiver uma pensão de 200 euros, dará o restante até chegar aos 438 euros.

Relacionadas

Governo estima atribuir 156 mil novas pensões este ano

Os dados foram avançados por Mário Centeno na Comissão do Trabalho e da Segurança Social, em resposta a críticas dos deputados sobre atrasos na atribuição de pensões.
Recomendadas

Marques Mendes: “Costa Silva recupera autoridade ou sai. O país precisa de um ministro da Economia forte”

“De um Governo com maioria absoluta, à partida um Governo forte, esperava-se unidade, coesão, determinação, energia, mobilização, espírito reformista. O que encontrámos? Exatamente o contrário”, disse este domingo o comentador da SIC.

“Há interessados em criar Zonas Livres Tecnológicas para criptomoedas”, diz secretário de Estado da Digitalização

Mário Campolargo, em entrevista ao Jornal Económico, explica os objetivos do Governo em renovar a Estratégia de Blockchain e Web3 e garante que há interesse por parte de vários ‘players’ em testar moedas virtuais nos espaços livres de constrangimentos regulatórios.

PAN defende aposta nos transportes públicos e revisão dos escalões de IRS

A porta-voz do PAN, Inês Sousa Real, defendeu, este domingo, na proposta de Orçamento do Estado para 2023 o Governo deve apostar nos transportes públicos e na revisão dos escalões de IRS, além da valorização da proteção animal. “É fundamental que no Orçamento do Estado se garanta uma maior aposta nos transportes públicos, a revisão […]
Comentários