Passageiros de cruzeiros em Lisboa cresceram 47% em outubro

Em termos acumulados, de janeiro a outubro, os valores de outubro permitiram um acréscimo do número de turistas de cruzeiro no porto de Lisboa na casa dos 10,8%, para um total de 486.658 passageiros.

O número de passageiros de navios de cruzeiro no porto de Lisboa subiu 47% no passado mês de outubro.

Segundo os dados recolhidos pelo Turismo de Lisboa, face ao período homólogo de 2017, o número de passageiros de cruzeiros na capital cresceu 47,3%, para 108.875.

Em termos acumulados, de janeiro a outubro, os valores de outubro permitiram um acréscimo do número de turistas de cruzeiro no porto de Lisboa na casa dos 10,8%, para um total de 486.658 passageiros.

No entanto, segundo o Observatório do Turismo de Lisboa, esteve foi dos poucos indicadores em alta no passado mês de outubro, uma vez que se registou uma quebra ligeira em quase todos os outros, me particular ao nível hoteleiro.

No período acumulado de janeiro a outubro, a taxa de ocupação de quartos nos hotéis da capital caiu 1,05 pontos percentuais, de 82,93% para 81,88%.

O preço médio por quarto vendido (‘average’) e por quarto disponível (‘revpar’) também caíram no passado mês de outubro nos hotéis de Lisboa, respetivamente 4,66 e 7,84 pontos percentuais, embora em termos acumulados desde o início do ano o balanço continue a ser positivo, com crescimentos respetivos de 7,2% e de 5,8%.

Recomendadas

Inflação pode retirar competitividade às empresas portuguesas

Responsável da Fundação AIP considera que os custos nos transportes, aliados ao atual quadro político poderá levar a que esta não seja a melhor altura para o sector empresarial se expandir para os mercados mais longínquos. Investir na vertente digital é outro dos desafios.

Bancos sujeitos a coimas até 1,5 milhões se não aplicarem diploma do Governo para crédito à habitação

Está já em vigor, a partir deste sábado, o diploma que estabelece medidas destinadas a mitigar os efeitos do incremento dos indexantes de referência de contratos de crédito para aquisição ou construção de habitação própria permanente. Bancos têm 45 dias a partir de hoje para aplicar as medidas.

Ministra da Justiça diz que é preciso melhorar condições dos processos de recuperação de empresas

“A melhoria das condições de processos de recuperação [de empresas], sobretudo em períodos de insolvência e de dúvida, como o que atravessamos, é um desafio, mas um desafio que temos de concretizar”, afirmou Catarina Sarmento e Castro.
Comentários