Passos Coelho rejeita voltar à vida política

“Para a frente está a minha vida pessoal, não tem nada de política”, disse Passos Coelho aos jornalistas, quando questionado se equacionava voltar à vida política ativa.

O antigo primeiro-ministro Pedro Passos Coelho rejeitou esta terça-feira ter planos para regressar à política ativa.

À chegada à sessão de apresentação do livro “Direito ao Futuro: por um mundo mais justo, mais verde e mais seguro”, do antigo-governante Jorge Moreira da Silva, Passos Coelho rejeitou ter a ambição de voltar à política.

A apresentação do livro do antigo ministro do Ambien­te e da Energia juntou Paulo Portas e Cavaco Silva, além de Passos Coelhos, assim como vários membros do XIX Governo Constitucional (2011-2015).

Questionado pelos jornalistas se tinha saudades de liderar aquele Executivo, o antigo Chefe de Governo respondeu que “o caminho faz-se sempre para a frente”.

Questionado se esse caminho incluirá, no futuro, algumas destas pessoas, Passos Coelho voltou a ser categórico: “Nada disso, para a frente está a minha vida pessoal, não tem nada de política”, disse.

Depois da saída da vida política, o ex-primeiro-ministro é desde 2018 professor no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP).

Recomendadas

Ministro da Saúde inicia processo de dissolução de consultora

Manuel Pizarro já iniciou o processo de dissolução da Manuel Pizarro-Consultoria e reconhece incompatibilidade.

OE2023: Conselho de Ministros extraordinário discute documento na terça-feira

O Governo discute em Conselho de Ministros extraordinário na terça-feira a proposta de Orçamento do Estado para 2023, numa reunião que marca o começo do processo de aprovação do documento, que é entregue ao parlamento na segunda-feira.

Governo avisa federação russa em Portugal: “UE adotará medidas restritivas adicionais” devido a anexação de regiões ucranianas

O Ministério dos Negócios Estrangeiros garante que a UE “continuará a apoiar a integridade territorial e a soberania da Ucrânia”, posição que demonstrou, esta segunda-feira, durante reunião com o embaixador da Federação Russa.
Comentários