Patris entra no Alternext com a assessoria do Montepio

É já na próxima quinta-feira, que se realiza a sessão de especial de admissão ao segmento Alternext da empresa liderada por Gonçalo Pereira Coutinho.

Gonçalo Pereira Coutinho, Fundador accionista Patris Capita

O Montepio Investimento é o assessor financeiro da operação de entrada em bolsa da Patris.

É já na próxima quinta-feira, que se realiza a sessão de especial de admissão ao segmento Alternext da empresa liderada por Gonçalo Pereira Coutinho.

Trata-se da terceira empresa portuguesa a estrear-se no mercado secundário não regulamentado da Euronext Lisbon, depois de a Intelligent Sensing Anywhere (ISA), em 2012, e da Nexponor (fundo da AEP), em 2013, se terem estreado neste mercado. Em todas ela o banco de investimento do Montepio Geral foi o assessor financeiro.

A Caixa Económica Montepio Geral foi o “listing sponsor” da operação de admissão da Patris no Alternext.  “O Montepio foi igualmente o assessor financeiro e listing sponsor das outras duas empresas listadas no Alternext Lisbon”, refere uma fonte ligada ao processo.

Criada em 2006, a Patris comprou três empresas do antigo BPN ao Estado após a nacionalização. A Fincor, o BPN Gestão de Activos (actual Patris Gestão de Activos) e a Real Vida.

Tentaram comprar o Banco Efisa e o Banif Banco de Investimento, porque queriam ter um activo que permitisse obter uma licença de banca universal, mas perdeu a corrida quer para o Efisa (para o Aethel Partners) que para o Banif Banco de Investimento (para o Bison Capital). Ambas as vendas ainda estão por concretizar porque estão dependentes de autorizações do regulador que tardam em chegar.

A notícia da entrada em bolsa da Patris foi dada pelo Expresso de sábado.

Recomendadas

Autoridade da Concorrência não se opõe a operação de concentração Sonae/NOS

A Autoridade da Concorrência (AdC) anunciou esta sexta-feira que “adotou uma decisão de não oposição na operação de concentração” entre a Sonae e a NOS, revela um comunicado revelado no site da entidade reguladora.  A decisão foi tomada em 6 de dezembro de 2022, pelo Conselho de Administração da Autoridade da Concorrência.

PremiumInflação faz subir salários de trabalhadores temporários contratados para o Natal

Com o Natal à porta, muitas empresas portuguesas, do retalho à restauração, estão a reforçar as equipas. A inflação e a escassez de mão-de-obra estão a provocar uma subida dos salários associados a essas contratações temporárias.

Aeroporto. CEO da ANA assume que obras poderão arrancar no final de 2023

Thierry Ligonnière deu também conta de um projeto para uma melhoria operacional do aeroporto de Lisboa que irá envolver uma verba entre os 200 e 300 milhões de euros. Sobre a decisão do novo aeroporto, o CEO referiu que a ANA “fará aquilo que o Governo decidir”.
Comentários