Paulo Rangel diz que “não vai condicionar nem fazer referências” sobre eleições legislativas antecipadas

O candidato à liderança do PSD considera que o assunto das eleições legislativas antecipadas é uma “competência exclusiva” do Presidente da República.

Paulo Rangel PSD – Twitter

O candidato à liderança do PSD, Paulo Rangel, disse que não vai comentar assuntos ligados às eleições legislativas antecipadas, acrescentando que não vai condicionar nem fazer referências a esse respeito, em declarações à comunicação social, em Viseu.

Paulo Rangel afirmou que o assunto das eleições legislativas antecipadas  é uma “competência exclusiva” do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

O social democrata refere que não entrar em tricas e insinuações, mas que pretende apresentar um programa aos portugueses e a Portugal

Paulo Rangel disse que vai aguardar com toda a serenidades os próximos desenvolvimentos.

O social democrata sublinhou que as eleições do PSD serão em dezembro, e defendeu que há tempo para ir às eleições legislativas com programa “realista e que melhore a qualidade de vida dos portugueses”.

Recomendadas

José Luís Carneiro, das comunidades portuguesas no estrangeiro à Administração Interna

José Luís Carneiro é o novo ministro da Administração Interna e regressa a um ministério no qual já desempenhou o cargo de assessor entre 1999 e 2000. O antigo secretário de Estado das Comunidades Portuguesas tem uma forte ligação ao poder local.

PS conquista dois mandatos do círculo da Europa e reforça maioria absoluta para 120 deputados

Depois de na primeira votação, a 30 de janeiro, PS e PSD terem conquistado um mandato cada um no círculo da Europa, na repetição da votação, o PS acabou por eleger o cabeça-de-lista pelo círculo, Paulo Pisco, mas também o segundo nome na lista, Nathalie de Oliveira.
eleições_legislativas_voto_urna_votar

Legislativas: Governo diz que votaram 152 emigrantes no fim de semana

Segundo o Governo “esse número representa um acréscimo de 31% face aos 116 cidadãos que exerceram o seu direito de voto presencial” a 30 de janeiro.
Comentários