PCP espera que 2019 traga “verdadeira alternativa” às políticas que levaram “ao atraso e dependência” do país

Na mensagem de Ano Novo, o secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, afirma esperar que 2019 seja um ano de “novos avanços e melhoramentos na vida dos portugueses”, com a concretização de uma política patriótica e de esquerda.

O Partido Comunista Português (PCP) considera que em 2018 persistiram “grandes constrangimentos” que impediram ir mais longe na resposta aos graves problemas do país. Na mensagem de Ano Novo, o secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, afirma que espera que 2019 seja um ano de “novos avanços e melhoramentos na vida dos portugueses”, com a concretização de uma política patriótica e de esquerda.

“2019 será um tempo de escolhas em que o povo português será confrontado com opções decisivas quanto ao seu futuro. Entre opção de manter bloqueada a concretização de uma verdadeira alternativa ou alcançar um futuro de progresso e justiça social e de desenvolvimento soberano com a concretização de uma política patriótica e de esquerda. Entre a opção avançar ou manter amarrado o país na dependência do exterior e a orientações e políticas que impedem o seu desenvolvimento”, defende Jerónimo de Sousa.

O líder comunista diz que, durante este ano, os portugueses sentiram o quão “importante e determinante” tem sido a sua luta e a ação e intervenção do PCP nas mais diferentes instituições no país e no Parlamento Europeu para “defender, repor e conquistar direitos e promover o crescimento económico e o emprego”. Mas, ainda há muito a fazer, sublinha, tendo em conta as políticas seguidas que conduziram “ao atraso e à dependência”.

“Sabemos que está muito por fazer. Que são grandes os constrangimentos que impedem de ir mais longe na resposta aos graves problemas do país que persistem, porque persistem em aspetos essenciais as mesmas políticas que conduziram o país ao atraso e à dependência – a política ao serviço dos monopólios e de submissão ao euro e às imposições da União Europeia que a ação convergente de PS, PSD e CDS têm imposto ao país”, explica.

Para 2019, o PCP compromete-se em continuar a apoiar a luta dos trabalhadores e do povo, para que se possa iniciar “não só um tempo de esperança, mas de novos e mais decididos avanços no melhoramento das condições de vida do nosso povo”. Na concretização desse objetivo, Jerónimo de Sousa diz aos portugueses que podem contar com o PCP, um partido que “honra os seus compromissos com o povo e o país e age para garantir e assegurar para Portugal um rumo de desenvolvimento económico, progresso social e independência nacional”.

Recomendadas

OE2023: Conselho de Ministros extraordinário discute documento na terça-feira

O Governo discute em Conselho de Ministros extraordinário na terça-feira a proposta de Orçamento do Estado para 2023, numa reunião que marca o começo do processo de aprovação do documento, que é entregue ao parlamento na segunda-feira.

Governo avisa federação russa em Portugal: “UE adotará medidas restritivas adicionais” devido a anexação de regiões ucranianas

O Ministério dos Negócios Estrangeiros garante que a UE “continuará a apoiar a integridade territorial e a soberania da Ucrânia”, posição que demonstrou, esta segunda-feira, durante reunião com o embaixador da Federação Russa.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta segunda-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta segunda-feira.
Comentários