PCP “não é força de suporte do Governo”

O líder parlamentar do Partido Comunista sublinha que o PCP “mantém a sua independência e autonomia” e procura “melhor servir os interesses dos trabalhadores e do povo”.

João Oliveira, líder parlamentar do PCP, declarou este sábado, à margem do segundo dia do XX Congresso do partido comunista, que o partido “não se diluiu e não é força de suporte do Governo” de António Costa.

“Não implicou a celebração de qualquer tipo de acordo de incidência parlamentar ou a constituição de uma pretensa maioria de esquerda”, afirma o deputado comunista. “O PCP não está comprometido com o programa de Governo, não se diluiu e não é força de suporte do Governo. Mantém a sua independência e autonomia e toma suas decisões em função do que entende melhor servir os interesses dos trabalhadores e do povo”, acrescenta.

João Oliveira salienta que o atual Executivo de António Costa se trata de “um governo minoritário do PS com o seu próprio programa” e que não corresponde aos objetivos comunistas de “rutura com a política de direita e a concretização de uma política alternativa, patriótica e de esquerda”.

“A questão fundamental que se coloca não é apenas a de evitar que PSD/CDS regressem ao poder, mas a de impedir que a sua política seja desenvolvida, seja pela mão de quem for, de PSD e CDS, seja pelo próprio PS”, explica o líder parlamentar, garantindo que os comunistas vão “retirar o máximo desta relação de forças, conseguir tudo o que for positivo para trabalhadores e o povo”.

Recomendadas

Eutanásia: Marcelo afirma que decidirá “rapidamente” e aponta para alturas do Natal

O Presidente da República garantiu hoje que decidirá rapidamente sobre a lei da despenalização da morte medicamente assistida, que deverá ser aprovada sexta-feira no parlamento, quando receber o documento, apontando a altura do Natal como data provável.

Lisboa aprova orçamento municipal para 2023 com abstenção de PS, IL e PAN

A Assembleia Municipal de Lisboa aprovou a proposta de orçamento para 2023, com votos a favor de PSD, CDS-PP, MPT, PPM e Aliança, a abstenção de PS, PAN e IL e os votos contra dos restantes deputados.

Governo anuncia Fórum Social do Porto em maio

O secretário de Estado dos Assuntos Europeus anunciou a realização em maio de 2023 do Fórum Social do Porto, para fazer o seguimento da Cimeira Social realizada durante a presidência portuguesa da União Europeia.
Comentários