PCP questiona Governo sobre a não contratação de pessoal para o Metro

O protesto do PCP surge após o secretário de estado adjunto do ministro do Ambiente ter anunciado aos representantes dos trabalhadores do Metro que não irão ser contratados novos trabalhadores, sendo essas funções subcontratadas a um prestador de serviços.

Rafael Marchante/Reuters

O PCP, através do deputado Bruno Dias, questionou ontem o governo sobre o facto de estar “sem autorizar a entrada de trabalhadores para a Manutenção do Metropolitano”.

Para os comunistas, o governo persiste em não permitir a contratação destes novos trabalhadores, “apesar necessidade urgente”, dos “pedidos públicos e insistentes da própria Administração do Metropolitano de mais 22 trabalhadores”, “do inferno para os utentes que está a implicar a paralisação de mais de 30 comboios”, e dos “compromissos públicos do governo, reafirmados pelo próprio primeiro-ministro”, de que o seu governo “apostava no combate à precariedade e na promoção do trabalho com direitos”.

O protesto do PCP surge após o secretário de estado adjunto do ministro do ministro do Ambiente ter anunciado aos representantes dos trabalhadores do Metro que não irão ser contratados novos trabalhadores, sendo essas funcções subcontratadas a um prestador de serviços.

“Esta decisão”, queixa-se o PCP, “surge num momento em que o Orçamento de Estado para 2018 já desbloqueou a possibilidade de contratação de trabalhadores para as empresas públicas de transporte”, o que, no entender dos comunistas, “a torna ainda mais estranha”.

 

Recomendadas

Receitas das estações de serviço na Ibéria cresceram 29% em 2021 devido à subida dos preços

De acordo com a análise que a Informa D&B realizou a este setor, em 2021 o mercado ibérico registou um aumento significativo de 10,6% face a 2020 no volume das vendas de gasolina e gasóleo, que corresponde a 38,30 milhões de toneladas de combustível.

Dona da Betano celebra primeiro ano da TechHub de Lisboa com reforço das equipas

O Tech Hub da Kaizen Gaming em Lisboa já emprega trinta pessoas e o objetivo passa por continuar a crescer no mercado português. Nesse sentido, serão abertas vagas para diversas funções.

PremiumFintech House muda de sede para duplicar número de startups

‘Joint venture’ da associação Portugal Fintech e da rede de espaços de trabalhos partilhados Sitio investiu perto de um milhão de euros na mudança do edíficio na Praça da Alegria para o da Avenida Duque de Loulé, com dez pisos e mais de 2 mil metros quadrados.
Comentários