PDM do Porto Santo parcialmente suspenso

A suspensão parcial do PDM nas zonas do Penedo do Sono e do Centro Hípico tem por base a degradação destas áreas consideradas estruturantes e propícias à criação de pólos dinamizadores da economia, do turismo e do comércio local.

O Plano Diretor Municipal do Porto Santo (PDM) está parcialmente suspenso pelo prazo de dois anos. A resolução foi publicada, esta quinta-feira,  no Jornal Oficial da Região Autónoma da Madeira (JORAM) depois de a Câmara Municipal ter dado parecer favorável, no passado dia 19,  com os votos favoráveis do PSD e o apoio do Mais Porto Santo. Os vereadores do PS votaram contra.

A suspensão parcial do PDM do Porto Santo, na zona do Penedo do Sono e na zona afeta ao Centro Hípico, tem por base, entre outras considerações, a degradação daquelas zonas que são consideradas estruturantes e, segundo a autarquia portosantense, propícias à criação de  pólos dinamizadores da economia, do turismo e do comércio local.

Atualmente  o acesso à zona do Penedo do Sono, aos equipamentos e estacionamento ali existentes, é feito através duma zona considerada perigosa pelas entidades com responsabilidades governativas. O objetivo é criar futuramente um novo acesso para permitir a circulação viária em  segurança e viabilizar  uma nova centralidade e um novo pólo de crescimento e desenvolvimento da Ilha do Porto Santo.

O Executivo madeirense justifica a necessidade de suspensão parcial do PDM pelos ‘timing’s’ das intervenções a empreender que “não se compadecem com os prazos previstos para a elaboração dum Plano de Urbanização ou de Pormenor, assim como para a revisão do Plano Diretor Municipal do Porto Santo, tendo em conta a duração da tramitação processual a que qualquer um destes procedimentos está sujeito”.

Prevista está também a renovação e  revitalização da zona afeta ao Centro Hípico que visa devolver o espaço para fruição da população local e dinamização de atividades  direcionadas para o lazer,  turismo e  comércio local.

Recomendadas

PS Madeira defende mais devolução de IRS às famílias de Santa Cruz

A deputada municipal Leonilde Cassiano considerou que esta proposta constituiria “uma forma de compensar as famílias do concelho pela perda de poder de compra provocada pela inflação e pelo aumento dos encargos com juros nos seus empréstimos à habitação”.

Madeira: JPP estranha silêncio de Eduardo Jesus sobre dificuldade no reembolso do Subsídio de Mobilidade em viagens da Ryanair

Élvio Sousa vincou que o apoio financeiro disponibilizado pelo Governo Regional da Madeira de 452 mil euros ano à Ryanair deve, justamente, obrigar uma intervenção célere, imediata e justaposta visando a resolução de uma situação que está a prejudicar madeirenses e porto-santenses.

Câmara do Funchal lança site para promover e divulgar turismo

Com o site a autarquia pretende fidelizar o turista.
Comentários