PremiumPedro Castro e Almeida é o futuro CEO do Santander Totta

Com o fim do mandato dos membros dos órgãos sociais, António Vieira Monteiro passará a ‘chairman’ do Santander Totta.

António Vieira Monteiro vai deixar de ser o CEO do Banco Santander Totta e passará a chairman no próximo mandato. Para o lugar de CEO, vai suceder-lhe o atual administrador executivo, Pedro Castro e Almeida, apurou o Jornal Económico. Vieira Monteiro, questionado sobre o assunto esta semana pelo Jornal Económico, à margem da apresentação de resultados do banco, escusou-se a pronunciar sobre o tema, dizendo que “se trata de uma decisão do acionista”.

A mudança de cadeiras dos dois administradores surge no quadro da renovação dos órgãos sociais para o triénio 2019-2021. O atual mandato da administração acaba no próximo dia 31 de dezembro. A lista dos novos órgãos sociais vai ser avaliada pelo Banco Central Europeu, no âmbito do processo fit & proper (adequação e avaliação), e já deu entrada no Banco de Portugal, apurou o Jornal Económico. No entanto, o regulador bancário não comentou.

O Santander Totta vai assim manter o seu princípio de ter um CEO português. A eleição dos órgãos sociais do Banco Santander Totta (que passará a ter a marca Santander) ocorrerá em assembleia geral, que será convocada para o efeito e que deverá realizar-se até ao final deste ano. Não é ainda conhecida a lista completa da nova administração do banco português detido pelo espanhol Santander, mas a recondução de Manuel Preto, atual administrador financeiro, é dada como certa pelas nossas fontes.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Recomendadas

Bancos sujeitos a coimas até 1,5 milhões se não aplicarem diploma do Governo para crédito à habitação

Está já em vigor, a partir deste sábado, o diploma que estabelece medidas destinadas a mitigar os efeitos do incremento dos indexantes de referência de contratos de crédito para aquisição ou construção de habitação própria permanente. Bancos têm 45 dias a partir de hoje para aplicar as medidas.

Complemento excecional a pensionistas: SNQTB remeteu nova carta ao Primeiro-Ministro

Depois do OE2023 ter sido aprovado o Sindicato Nacional dos Quadros e Técnicos Bancários diz que “o Partido Socialista mantém a injustiça em relação aos bancários reformados que foram indevidamente excluídos da atribuição do complemento excecional a pensionistas”.

Sete bancos lucraram dois mil milhões até setembro, mais 71% do que no período homólogo

Os lucros dos sete maiores bancos – Caixa Geral de Depósitos, BCP, Novobanco, Santander Totta, BPI, Crédito Agrícola e Banco Montepio somam 2.006,3 milhões de euros até setembro deste ano, o que compara com um valor de 1.172 milhões nos nove meses do ano passado. O que significa que os lucros dos sete bancos cresceram 71,2%.
Comentários