Pedro Nunes é 5.ª melhor incubadora do mundo. Já criou 2200 empregos

A incubadora do IPN já acolheu empresas como Critical Software, WIT Software, Crioestaminal, Active Space Technologies, Take the Wind ou FEEDZAI.

O Pedro Nunes é a 5.ª melhor incubadora de base universitária do mundo, segundo a UBI Global, entidade de investigação e consultoria sueca reconhecida por avaliar e reunir as melhores incubadoras a nível mundial.

O “Top 5 das Melhores Incubadoras do Mundo” resulta do UBI World Benchmark Study 2017-2018, estudo que abrangeu 1370 programas de incubação e aceleração ligados a universidades, oriundos de 53 países, cujo objetivo é destacar e apresentar o desenvolvimento da indústria de incubação, bem como mostrar as suas tendências tecnológicas e impacto no ecossistema das startups e na economia em geral.

Criado em 1991, por iniciativa da Universidade de Coimbra, o Instituto Pedro Nunes visa promover a inovação e a transferência de tecnologia, estabelecendo a ligação entre o meio científico e tecnológico e o tecido produtivo.

Pela incubadora do IPN já passaram algumas das mais importantes empresa tecnológicas de Portugal, como a Critical Software, a WIT Software, a Crioestaminal, a Active Space Technologies, a Take the Wind ou a FEEDZAI.

Instituto Pedro Nunes em números

  • 287 empresas apoiadas
  • 2.200 postos de trabalho altamente qualificados criados
  • 165 milhões de euros de volume de negócios em  2017
  • 75% de taxa de sobrevivência
  • Taxa de exportações: 60%
  • 1.700 m2 de área útil para instalação de empresas (incubadora)
  • 4.500 m2 de área útil para instalação de empresas (aceleradora).
Recomendadas

Startup de Braga cria dispositivo que permite testar sangue em três minutos

A solução desenvolvida pela CRIAM é portátil e “80% mais barata que os equipamentos convencionais”. A startup diz que reduz o erro humano e a dependência de reservas de sangue e que é aplicável em situações de emergência.

Pampilhosa da Serra vai construir edifício destinado a ‘startups’ na área espacial

A Câmara Municipal da Pampilhosa da Serra, no distrito de Coimbra, vai construir um edifício, orçado em dois milhões de euros, para fixar ‘startups’ na área das ciências espaciais.

Fundo dos CTT participa em investimento de 5,2 milhões da startup luso-americana Habit

O fundo de 5 milhões de euros TechTree, lançado pelo operador postal, investiu na ronda da Habit, depois de ter apostado nas empresas Kit-AR e na Sensefinity, ligadas à Realidade Aumentada e sensorização logística.
Comentários