Pedrógão Grande. Montenegro diz que “Estado falhou há cinco anos”

O presidente eleito do PSD, Luís Montenegro, considerou esta sexta-feira que “o Estado falhou” nos incêndios que deflagraram em Pedrógão Grande em 2017 e que houve “promessas feitas que ficaram por cumprir”, exortando o Governo a cumpri-las.

Numa mensagem publicada na rede social Twitter, o líder eleito social-democrata assinalou que “os trágicos incêndios de Pedrógão Grande aconteceram há cinco anos” e deixou “uma palavra solidária àqueles que perderam os seus familiares e património”.

Apontando que “o Estado falhou há cinco anos”, Montenegro salientou “as promessas feitas que ficaram por cumprir”.

E questionou: “Vai o Governo continuar a falhar àquelas populações?”.

Em 17 de junho de 2017, os incêndios de Pedrógão Grande provocaram 66 mortos e 253 feridos, sete dos quais graves.

A maioria das vítimas mortais morreu na Estrada Nacional 236-1, entre Castanheira de Pera e Figueiró dos Vinhos.

Os fogos destruíram cerca de meio milhar de casas e 50 empresas.

Recomendadas

20 pessoas manifestam-se em Lisboa pelo regresso dos comboios internacionais

Quase 20 pessoas, nem todas de pijama como pedia a organização, participaram hoje numa ação simbólica junto à estação ferroviária de Santa Apolónia, em Lisboa, para exigir o regresso das ligações de comboio para Madrid (Espanha) e Hendaye (França)

Manifestações pelo direito ao aborto reúnem milhares em França

Várias manifestações ocorreram hoje em França em defesa do direito ao aborto e para manifestar apoio às mulheres norte-americanas, depois da decisão, na semana passada, do Supremo Tribunal dos Estados Unidos, de revogar esse direito.

Marcelo destaca vaga de emigração brasileira e legislação em Portugal

O Presidente da República destacou hoje a recente vaga de emigração brasileira para Portugal, afirmando que “é algo muito novo e muito diferente”, e a evolução da legislação para aquisição de nacionalidade portuguesa e de residência.
Comentários