Pelosi em Taiwan. Embaixador dos EUA pede a Pequim que evite escalada e mantenha diálogo

O embaixador dos Estados Unidos da América (EUA) em Pequim, convocado terça-feira pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês no meio das tensões sobre Taiwan, pediu ao seu interlocutor que evite uma escalada e mantenha abertas as linhas de comunicação.

8 – Taiwan

O vice-ministro chinês dos Negócios Estrangeiros, Xie Feng, convocou Nicholas Burns para protestar formalmente contra a visita a Taiwan da presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, Nancy Pelosi, uma viagem que Pequim interpreta como um gesto de apoio à independência da ilha.

Durante a reunião, o embaixador norte-americano defendeu que Pelosi “tem o direito de viajar para Taiwan” e que a sua visita é “consistente” com a política de “uma China” apoiada por Washington desde 1979, disse à agência Efe um porta-voz do Departamento de Estado norte-americano.

“Burns também reiterou que os Estados Unidos não vão encenar uma escalada e que quer trabalhar com a China para evitar que isso aconteça. Comprometeu-se também a manter as linhas de comunicação abertas”, adiantou a mesma fonte.

De acordo com a agência oficial chinesa Xinhua, o vice-ministro chinês disse ao embaixador que a visita de Pelosi é “uma provocação deliberada” e que esta está a brincar “com o fogo”.

“As consequências são extremamente graves. A China não vai ficar sem dar resposta”, disse o governante, que sublinhou que os EUA devem ser responsabilizados por “dizerem uma coisa e fazerem outra” em relação ao princípio de “uma China”.

Pelosi concluiu hoje a sua visita de menos de 24 horas a Taiwan, uma viagem que, por enquanto, resultou em sanções comerciais e manobras militares em torno da ilha por Pequim.

Relacionadas

Taiwan. G7 e UE alertam para “escalada desnecessária” por parte da China

Os ministros dos Negócios Estrangeiros do G7 expressaram esta quarta-feira o seu compromisso conjunto com a manutenção da ordem internacional, alertando para uma “escalada desnecessária” por parte da China no Estreito de Taiwan.

PCP condena visita de Nancy Pelosi a Taiwan e considera uma “provocação”

“Esta provocação, no quadro de uma visita do Congresso dos EUA a vários países da região e que invoca como um dos objetivos discutir ‘segurança’, insere-se na estratégia de confrontação crescente do imperialismo contra a República Popular da China”, considera o PCP.

Taiwan: Washington e Taipé prometem firmeza apesar da ameaça militar chinesa

“Hoje, a nossa delegação (…) veio a Taiwan para dizer inequivocamente que não vamos abandonar o nosso compromisso com Taiwan e que estamos orgulhosos da nossa amizade duradoura”, disse Nancy Pelosi num evento com a Presidente da ilha, Tsai Ing-wen.

Taiwan: Taipé regista incursão de 21 aviões militares chineses

As incursões de aviões chineses aconteceram no dia em que a líder da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos chegou a Taipé, no âmbito de uma visita à Ásia.

Taiwan: Pequim impõe novas sanções comerciais a Taipé

Pequim proibiu a importação de citrinos, rebentos de bambu congelados e dois tipos de peixe, bem como a exportação de areia para a ilha. Nancy Pelosi, que chegou a Taipé na terça-feira à noite, é a mais importante responsável norte-americana a visitar a ilha em 25 anos. A China, que considera Taiwan parte do seu território, chamou à visita uma grande provocação e ameaçou os Estados Unidos de retaliação.

Taiwan: Coreia do Norte, Cuba e Venezuela repudiam visita de Nancy Pelosi

Nancy Pelosi, que chegou a Taipé na terça-feira à noite, é a mais importante responsável norte-americana a visitar a ilha em 25 anos. A China, que considera Taiwan parte do seu território, chamou à visita uma grande provocação e ameaçou os Estados Unidos de retaliação.

Taiwan. China em “alerta máximo” e ameaça com “contramedidas”

A China anunciou esta terça-feira que entrou em “alerta máximo” e que vai lançar “uma série de operações militares”, que considera como “contramedidas”, após a líder do Congresso norte-americano, Nancy Pelosi, ter aterrado em Taiwan.

“Não podemos ficar parados” perante as ameaças da China, disse Pelosi em Taiwan

Não podemos ficar parados enquanto o PCC [Partido Comunista Chinês] continua a ameaçar Taiwan — e a própria democracia”, disse Pelosi, citando a “repressão brutal” da China contra a dissidência política em Hong Kong. Aviões de guerra chineses sobrevoaram a linha que divide o Estreito de Taiwan na terça-feira antes da sua chegada.

Pelosi visita Taiwan esta terça-feira. Saiba que consequências podem surgir da China em resposta

Incursões particularmente grandes ou incomuns de aviões de guerra, aviões de guerra a voar sobre Taiwan ou sobre a linha mediana do Estreito de Taiwan, teste de mísseis perto de Taiwan, restrições e sanções económicas a Taiwan, retirar o embaixador da China nos EUA são algumas das consequências possíveis.
Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quinta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quinta-feira.

Revista de imprensa internacional: as notícias que estão a marcar a atualidade global

Guterres encontra-se em Lviv com Zelensky e Erdoğan; Pelo menos 21 mortos em explosão na mesquita de Cabul; Agência Internacional de Energia vai liderar delegação na central nuclear de Zaporizhzhia

Senadora republicana Lisa Murkowski crítica de Trump vence primárias no Alasca

Segundo as projeções dos principais meios dos EUA, Murkowski venceu as eleições, derrotando uma vintena de concorrentes, entre os quais uma candidata apoiada por Trump, a também republicana Kelly Tshibaka.
Comentários