PremiumPensões mais baixas com aumento de pelo menos 5% em 2023

A previsão do Governo para a economia e os números atuais da inflação sinalizam que as pensões mais baixas deverão subir de modo automático, pelo menos, 5%, em 2023. As atualizações podem, contudo, ser ainda mais expressivas, se os preços continuarem a acelerar.

DR

O primeiro-ministro já garantiu que, mesmo estando a inflação em máximos, a regra da atualização automática das pensões será aplicada em 2023, o que significa que, à boleia do preços e do crescimento económico, as pensões mais baixas vão subir, pelo menos, 5%, em janeiro, de acordo com as contas do Jornal Económico, considerando os números do Índice de Preços no Consumidor (IPC) atualmente disponíveis e as previsões do Governo para o Produto Interno Bruto (PIB).

A julgar pelas declarações feitas pelo Presidente da República em meados de junho, estas atualizações, a confirmarem-se, deverão ter um impacto de cerca de mil milhões de euros que poderão ser acomodados com o maior acréscimo da receita fiscal à boleia da inflação. E enquanto 2023 não chega, o Executivo está a ponderar voltar a subir as pensões já em setembro, face à escalada dos preços.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta terça-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta terça-feira.

Revista de imprensa internacional: as notícias que estão a marcar a atualidade global

FBI realiza buscas na propriedade de Donald Trump em Mar-a-Lago, nos EUA; Rússia aponta as sanções dos EUA como motivo para não receber inspeções ao seu arsenal nuclear; governo espanhol vai levar ao tribunal constitucional as regiões autónomas que incumpram acordo de redução de consumo energético

Exportações de bens aumentaram 37,1% e importações 41,6% em junho

Em termos homólogos, as variações resultaram num aumento do défice da balança comercial na ordem dos 903 milhões de euros, revelou hoje o Instituto Nacional de Estatística.
Comentários