Pentágono reconhece existência de departamento que investigava OVNIS

O departamento secreto chamava-se Advanced Aviation Threat Identification Program e existiu entre 2007 e 2012, recebendo financiamentos anuais de 22 milhões de dólares. Programa foi cancelado, mas o Pentágono continua atento a todas as potenciais ameaças, afirmou porta-voz.

O Pentágono reconheceu a existência de um departamento, até agora secreto, que investigava os avistamentos de Objetos Voadores Não Identificados (OVNI), segundo o “New York Times”.

O departamento em questão, denominado Advanced Aviation Threat Identification Program, existiu entre 2007 e 2012 e recebeu financiamentos anuais de 22 milhões de dólares. Porém, acabou por ser cancelado devido à existência de “outras prioridades”, segundo reconheceu uma porta-voz do Pentágono.

“Foi decidido que existem outras prioridades que merecem financiamento”, disse a referida porta-voz. No entanto, acrescentou, o Pentágono continua a atento a todas as potenciais ameaças e “atua sempre que existe informação credível”.

Segundo o “New York Times”, o programa foi criado por insistência do senador democrata Harry Reid, que era líder da maioria no senado americano em 2007 e é considerado um entusiasta das questões relacionadas com o espaço.

Recomendadas

Conferência “Poupar e Investir para um Futuro Melhor” a decorrer em Lisboa, com o apoio do Jornal Económico

A conferência é organizada pela Optimize Investment Partners, sociedade gestora portuguesa que disponibiliza uma gama de soluções de investimento para diversos perfis de risco e objetivos. Moderada por Nuno Vinha, subdiretor do Jornal Económico, consiste numa palestra de 30 minutos de cada um dos quatro oradores, um coffee break e uma mesa redonda com espaço para perguntas e respostas e interação com a plateia.

SIBS: mais de um quinto do valor gasto na Black Friday foi em compras online

O comércio online continua a ganhar peso nas compras em Portugal. Dados da SIBS revelam que 22% do valor gasto na última Black Friday foi em compras online, um peso que bate por muito os 18% do ano passado.

União Europeia, G7 e Austrália limitam barril de petróleo russo a 60 dólares

Os 27 estados-membros da UE chegaram a acordo, esta sexta-feira, no estabelecimento de um teto máximo para o preço do petróleo russo nos 60 dólares por barril. Os sete países mais industrializados do mundo (G7) e a Austrália juntam-se na decisão.
Comentários