Perto de 50% dos alojamentos de Airbnb de Lisboa não têm licença válida

Desde 2016, o número de imóveis listados nesta plataforma em Lisboa mais do que triplicou, de oito mil para mais de 25 imóveis no final de 2019, o que deixa a capital portuguesa no top 10 das cidades mundiais com maior oferta de alojamento local nesta plataforma.

Dos alojamentos de Airbnb listados em Lisboa, 47% não têm uma licença válida, sendo que 30% não têm qualquer licença para operar e 17% não utilizam uma licença única para os imóveis registados. A conclusão é revelada por um estudo realizado por José Pedro Lopes e Manuel Banza, alunos da pós-graduação em Data Science for Hospitality & Tourism, da NOVA Information Management School (NOVA IMS).

Desde 2016, o número de imóveis listados nesta plataforma, em Lisboa, mais do que triplicou, de oito mil para 25.134 imóveis no final de 2019, o que deixa a capital portuguesa no top-10 das cidades mundiais com maior oferta de alojamento local nesta plataforma.

As freguesias de Santa Maria Maior, Misericórdia e Arroios são as que registam a maior parte da oferta, com um total de 36% de imóveis registados na plataforma Airbnb. De resto, Lisboa está entre as dez principais cidades mundiais, onde existe uma maior preponderância de hosts com múltiplos alojamentos listados.

Ao todo, 73% dos hosts têm pelo menos dois imóveis listados, o que compara com Paris (30%), Berlim (34%) ou Milão (45%). O maior host em Lisboa tem um total de 264 imóveis registados.

“Encontramos casos de licenças cujos espaços são deixados em branco ou são preenchidos com ‘Airbnb123’. E depois temos também vários casos onde uma licença é usada várias vezes. No caso mais extremo, encontrámos a mesma licença ser utilizada para 24 imóveis. A cada imóvel deveria pertencer uma única licença”, refere Manuel Banza.

Relacionadas

PremiumAções mais que duplicam na estreia em bolsa da Airbnb

A gigante do alojamento local abriu a porta da bolsa e dificilmente poderia ter recebido um ‘review’ mais positivo. O valor das ações disparou 119%, no maior IPO do ano.

Airbnb já é mais valiosa do que as três maiores cadeias hoteleiras do mundo juntas

Em conjunto, a Hilton Worldwide Holdings, o Marriott International e o Intercontinental Hotels Group estavam avaliadas em 84,1 mil milhões de dólares (69,4 mil milhões de euros) no fecho do mercado desta quinta-feira.

PremiumAirbnb: Experiência local alimenta negócio global

A ideia nem sequer era original, mas a “elegância” da solução apresentada aos anfitriões e aos hóspedes elevou a Airbnb a um dos maiores sucessos da história do capitalismo. De tal forma que parece ter um grande historial atrás de si, mas só nasceu há cerca de 11 anos, pela mão de três empreendedores de São Francisco, com destaque para o atual CEO Brian Chesky. Sendo claro que o paraíso tem problemas, os investidores ignoraram-nos olimpicamente no IPO desta semana.
Recomendadas

Prémio “João Vasconcelos – Empreendedor do ano 2022” atribuído aos fundadores da Coverflex

O prémio de “Empreendedor do Ano” foi entregue pelo presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas, e por Bernardo Correia, ‘country manager’ da Google Portugal, entidade parceira desta edição.

Empresa aeronáutica prevê 6 milhões para começar a produzir aviões em Cabo Verde

“Venho elaborando este projeto já há dois anos, criei a empresa Aeronáutica Checo-Cabo-verdiana, empresa que irá produzir os aviões da Orlican e Air Craft Industries em Cabo Verde”, afirma Mónica Sofia Duarte.

BPI e FCT financiam 20 projetos e nove ideias para o desenvolvimento sustentável no Interior

A edição de 2022 do Programa Promove, uma iniciativa da Fundação “la Caixa”, em colaboração com o BPI e em parceria com a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), concedeu apoios a fundo perdido de perto de 3,6 milhões a um total de 20 projetos e nove ideias destinados a impulsionar o desenvolvimento sustentável de regiões do interior de Portugal.
Comentários