Peru. Centenas de manifestantes interrompem operações no aeroporto de Arequipa

Os manifestantes irromperam no aeroporto Alfredo Rodríguez Ballón após derrubarem as vedações metálicas do perímetro do terminal aéreo, com a polícia a responder com o lançamento de gás lacrimogéneo.

7 – Perú

Centenas de manifestantes entraram hoje nas instalações do aeroporto de Arequipa, a segunda maior cidade do Peru, forçando à suspensão das operações e enquanto prosseguem os protestos governamentais que alastraram à capital Lima.

Os manifestantes irromperam no aeroporto Alfredo Rodríguez Ballón após derrubarem as vedações metálicas do perímetro do terminal aéreo, com a polícia a responder com o lançamento de gás lacrimogéneo.

Previamente, o Ministério dos Transportes e Comunicações tinha anunciado o encerramento do aeroporto “para prevenir a integridade da cidadania e a segurança das operações aeronáuticas”.

Até ao momento, pelo menos 54 pessoas, incluindo um polícia, foram mortas durante os protestos, iniciados no início de dezembro e que registaram uma pausa no Natal e início do ano, para serem retomados nos primeiros dias de janeiro.

Em Lima, manifestantes antigovernamentais concentravam-se desde o início da manhã para voltar a exigir a demissão da Presidente Dina Boluarte, e perante forte presença policial.

A demissão de Boluarte, a dissolução do Congresso e a convocação imediata de eleições para uma assembleia constituinte, a punição para os responsáveis policiais e militares envolvidos na sangrenta repressão dos protestos e a libertação do ex-presidente Pedro Castillo – acusado de promover um “golpe de Estado” constitucional e em prisão preventiva –, são as principais reivindicações da população, proveniente das zonas mais pobres do país e que agora se dirigiu para a capital.

Boluarte – que no início de dezembro substituiu o então presidente Pedro Castillo –, declarou na terça-feira que as estradas ocupadas pelos manifestantes iriam ser desbloqueadas pelas forças policiais e militares, e disse esperar que nos protestos em Lima fossem expressas as reivindicações sociais, mas não políticas, numa referência às diversas palavras de ordem ecoadas nos protestos e onde se inclui a sua imediata demissão.

Recomendadas

Presidente dos EUA deu ordem para Força Aérea abater balão chinês

Pequim admitiu que o balão lhe pertence, mas garante que se trata de “um dispositivo civil para fins meteorológicos”.

Balão chinês foi abatido por caças da Força Aérea dos Estados Unidos

De acordo com fontes militares, está em curso uma operação para recuperar os destroços do balão abatido sobre as águas da costa leste dos Estados Unidos, quando voava a 60 mil pés.

Zelensky insiste com primeiro-ministro britânico que Rússia “não tem lugar” nos Jogos Olímpicos de Paris

Por seu lado, Sunak explicou ao presidente ucraniano que o Reino Unido está agora focado em “garantir que o equipamento militar defensivo” do país “chegue à linha da frente o mais rapidamente possível”.
Comentários