Pesquisas por voos internacionais cai 26% devido à Ómicron

O site de reservas de viagens diz que “sempre que surge uma nova variante do vírus Covid-19, a demanda por viagens parece sofrer um certo impacto”.

A Momondo, site de reserva de viagens, registou uma queda de 26% na pesquisa por voos internacionais devido à Ómicron.

Em comunicado, a Momondo dá nota de que “viu uma queda nas pesquisas de voos internacionais em Portugal em cerca de 26%”. “Ao mesmo tempo, parece que as pesquisas de voos para algumas regiões estão a diminuir mais lentamente ou permanecem ao mesmo nível da semana anterior”, sublinha o site de pesquisa de viagens.

Relativamente à causa da redução do número de pesquisas está a nova variante, Ómicron. “Sempre que surge uma nova variante do vírus Covid-19, a procura por viagens parece sofrer um certo impacto”, sublinha a Momondo. De recordar que países da União Europeia impuseram restrições a países da África do Sul onde foi identificada pela primeira vez a variante.

Já os EUA classificaram, a 6 de dezembro, Portugal como destino de risco “muito elevado” devido à pandemia de covid-19, uma vez que nas últimas semanas o número de infetados tem subido. Quanto à Omicron foram identificados 34 casos a nível nacional. Por outro lado, Portugal saiu da lista vermelha de viagens da Suíça.

Entre as preferências dos portugueses estão destinos como “as Maldivas, México e Brasil” cujas “pesquisas de voos” aumentaram em “cerca de 16%, 14% e 9% respetivamente”. Os dados foram obtidos por avaliação de períodos “entre 26 de novembro de 2021 e 01 de dezembro de 2021”.

Relacionadas

Covid-19: EUA classificam Portugal em risco “muito elevado” e desaconselham viagens (com áudio)

A mais recente atualização do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos coloca Portugal no nível quatro, o mais alto de alerta devido à atual situação da covid-19 em território nacional.

Covid-19. Portugal sai da lista vermelha de viagens da Suíça

A partir de sábado, 4 de dezembro, quem viajar de Portugal para a Suíça deixa de estar obrigado a fazer quarentena.
Recomendadas

EDP emite 500 milhões de dólares de ‘green bonds’ a 5 anos

Esta emissão destina-se ao financiamento (ou refinanciamento) do portfólio de projetos renováveis elegíveis da EDP, anuncia a empresa.

Metro de Lisboa tem um novo Provedor do Cliente e é o ex-ministro Vieira da Silva

Vieira da Silva foi eleito Provedor do Cliente do Metro de Lisboa, mas é “um contrato de prestação de serviço não remunerado”. O mandato é de um ano, renovável sucessivamente por iguais períodos.

“Nem eu nem a FPF quisemos criar esquema para iludir a AT”, defende selecionador sobre empresa que detém

Fernando Santos pretendia a anulação de liquidação de IRS no valor de cerca de 4 milhões de euros, verba relativa aos anos 2016 e 2017, sabe o JE. O contrato celebrado entre o selecionador e a FPF foi efetuado através de uma empresa, sendo que o respetivo IRC já foi liquidado.
Comentários