Petróleo: 2016 foi o ano de todas as oscilações

Matéria prima termina 2016 com uma forte recuperação graças ao acordo para reduzir a produção, o que deixa para trás a debilidade que se viveu durante parte do ano, com o barril a negociar abaixo dos 28 dólares.

O barril de Brent, para entrega em fevereiro, começou o último dia útil do ano a negociar nos 56,13 dólares, mas durante a sessão valorizou até aos 56,79 dólares, antes das 12h00.

O Brent, que serve de referência na Europa, consolidou a tendência de crescimento durante o mês de dezembro, depois do histórico acordo alcançado em 30 de novembro com a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) para reduzir a produção em 1,2 milhões de barris por dia, limitando-a a 32,5 milhões de barris diários.

No início do ano, o preço do petróleo baixou para valores mínimos, tendo o mais baixo sido alcançado em 20 de janeiro, nos 27,10 dólares, um ano e meio depois de o barril ter alcançado os 110 dólares, em agosto de 2014.

Também a cotação do barril de Texas, referência nos EUA, se desmoronou e chegou a valer 29,42 dólares, o nível mais baixo desde novembro de 2003.

Recomendadas

PCP defende aumento do salário mínimo nacional para 850 euros em janeiro

O secretário-geral do PCP acusou o Governo de querer “retomar todos os caminhos da política de direita, fazer comprimir ainda mais os salários, facilitar a exploração, abrir espaço para os negócios privados na saúde e na educação, condicionando ou justificando as suas opções com as orientações e imposições da União Europeia e do euro”.

Irão: Impacto das sanções dos EUA prejudica cooperação com Portugal

Mortza Damanpak Jami destaca que as relações comerciais podem sair afetadas, mas as culturais têm-se desenvolvido, com “muitas oportunidades e muitos programas ligados à cultura”.

Respostas Rápidas: como deve investir a pensar na reforma?

Com uma estrutura demográfica cada vez mais envelhecida, as dúvidas em torno da sustentabilidade da Segurança Social no médio-prazo reforçam o papel da poupança privada no rendimento dos portugueses em reforma, pelo que importa compreender os vários instrumentos financeiros ao seu dispor.
Comentários