Petróleo em destaque – Brent rejeita quebra abaixo dos 100$

O Brent, usado como referência em Portugal, rejeitou a quebra em baixa da zona psicológica dos 100$.

 

Historicamente, em períodos de inflação elevada, o petróleo é mesmo a matéria-prima com maior histórico de ganhos, não sendo por isso de estranhar que já há quem aponte os 150$ como a próxima grande zona de resistência. Mas fará isto realmente sentido?

Quando falamos do petróleo, falamos da relação entre a oferta e a procura da matéria-prima. De entre as principais notícias que têm vindo a afetar este ativo em 2022, destaca-se alguns dos mais importantes: a força do dólar, os investidores que se questionam se a crise atual vai ou não evoluir para uma recessão (fator que limita a procura), o impacto da inflação e consequente subida dos juros, fatores geopolíticos, problemas de refinação que condicionam a oferta e o endividamento das empresas e famílias que, em cenário de aumento dos juros, passam a estar condicionados.

Saiba como pode posicionar-se no mercado com a XTB.

O mercado de matérias primas

O ano de 2022 está marcado por vários acontecimentos imprevistos que ainda têm um forte impacto no mercado das matérias-primas e causam uma volatilidade de preços acima da média. Perturbações nas cadeias de abastecimento, bloqueios comerciais na China, guerra na Ucrânia, fricção entre os EUA, China e Rússia ou o êxodo dos investidores do setor da tecnologia de risco. Todos estes fatores fizeram com que as matérias-primas atraíssem a atenção dos mercados como uma classe de ativos central e “porto seguro” e continuassem a ganhar popularidade tanto entre os traders como entre os investidores.

O interesse crescente no mercado de matérias-primas aumentou a volatilidade não só dos próprios contratos sobre matérias-primas, mas também dos preços das empresas cotadas. Isto fez com que regressasse o bull market neste mercado.

O petróleo recupera da área marcada com a média móvel de 200 sessões. Além disso, parece extremamente vendido no que diz respeito ao posicionamento especulativo. Uma quebra potencial acima do limite superior do canal descendente pode sugerir uma inversão de tendência. A recuperação do EUR/USD também está a fornecer suporte para os preços do petróleo. Fonte: xStation5

 

Aprenda a desenvolver o mindset correto para encarar os períodos de maior incerteza com a XTB.

Apesar dos compradores terem entrado com força na zona dos 100$, historicamente o segundo semestre apresenta melhor performance que o primeiro. O cenário mais lógico seria a negociação no intervalo entre os 100$ e 135$, até algo de relevante se alterar no cenário macroeconómico.

De salientar os últimos desenvolvimentos neste mercado que suportam a recuperação do ativo.

  • A visita de Joe Biden à Arábia Saudita não resultou em nenhum anúncio de aumento na produção de petróleo saudita;
  • Por outro lado, os Estados Unidos esperam que a produção aumente. Já a Arábia Saudita diz que os níveis de produção devem aumentar nos próximos anos;
  • Segundo jornalistas do setor, a Arábia Saudita vai propor uma medida que compensaria outros países da OPEP+ pelo aumento da produção de petróleo saudita;
  • A Arábia Saudita afirma que o mercado não está a ver uma escassez de petróleo, mas uma escassez da capacidade de refinação. Uma situação semelhante ocorreu em 2007-2008, que acabou por fazer o preço do petróleo subir para níveis que resultaram na destruição da procura;
  • O próximo relatório do DOE será fundamental para avaliar a procura de combustível nos Estados Unidos. O último relatório mostrou que a quantidade de combustível fornecida ao mercado caiu significativamente. No entanto, alguns dizem que foi simplesmente para compensar o aumento da oferta antes do feriado de 4 de Julho;
  • Parece que a luta e a agitação social na Líbia podem ter chegado ao fim. Em tese, a produção de petróleo no país volta a ser de cerca de 1,2 milhões de barris por dia;
  • O Irão assinou um Memorando de Entendimento com a Gazprom russa. O MoU abre caminho para cooperação no setor de energia entre Rússia e Irão.
A quantidade de derivados de petróleo fornecida ao mercado norte-americano caiu para o menor nível do ano. Fonte: Bloomberg

 

O preço deverá continuar suportado na zona dos 100$ no segundo semestre, no entanto, se nada se alterar acima dos 135$, a procura será fortemente condicionada. Resta-nos perceber se existe efetivamente um risco da economia entrar em recessão e se a inflação está para ficar.

Acompanhe a atualidade dos mercados internacionais com as notícias e análises diárias da XTB.

 

Este material é uma comunicação de marketing na aceção do artigo 24.º, n.º 3, da Diretiva 2014/65 / UE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 15 de maio de 2014, sobre os mercados de instrumentos financeiros e que altera a Diretiva 2002/92 / CE e Diretiva 2011/61/ UE (MiFID II). A comunicação de marketing não é uma recomendação de investimento ou informação que recomenda ou sugere uma estratégia de investimento na aceção do Regulamento (UE) n.º 596/2014 do Parlamento Europeu e do Conselho de 16 de abril de 2014 sobre o abuso de mercado (regulamentação do abuso de mercado) e revogação da Diretiva 2003/6 / CE do Parlamento Europeu e do Conselho e das Diretivas da Comissão 2003/124 / CE, 2003/125 / CE e 2004/72 / CE e do Regulamento Delegado da Comissão (UE ) 2016/958 de 9 de março de 2016 que completa o Regulamento (UE) n.º 596/2014 do Parlamento Europeu e do Conselho no que diz respeito às normas técnicas regulamentares para as disposições técnicas para a apresentação objetiva de recomendações de investimento, ou outras informações, recomendação ou sugestão de uma estratégia de investimento e para a divulgação de interesses particulares ou indicações de conflitos de interesse ou qualquer outro conselho, incluindo na área de consultoria de investimento, nos termos do Código dos Valores Mobiliários, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 486/99, de 13 de Novembro. A comunicação de marketing é elaborada com a máxima diligência, objetividade, apresenta os factos do conhecimento do autor na data da preparação e é desprovida de quaisquer elementos de avaliação. A comunicação de marketing é elaborada sem considerar as necessidades do cliente, a sua situação financeira individual e não apresenta qualquer estratégia de investimento de forma alguma. A comunicação de marketing não constitui uma oferta ou oferta de venda, subscrição, convite de compra, publicidade ou promoção de qualquer instrumento financeiro. A XTB, S.A. – Sucursal em Portugal não se responsabiliza por quaisquer ações ou omissões do cliente, em particular pela aquisição ou alienação de instrumentos financeiros. A XTB não aceitará a responsabilidade por qualquer perda ou dano, incluindo, sem limitação, qualquer perda que possa surgir direta ou indiretamente realizada com base nas informações contidas na presente comunicação comercial. Caso o comunicado de marketing contenha informações sobre quaisquer resultados relativos aos instrumentos financeiros nela indicados, estes não constituem qualquer garantia ou previsão de resultados futuros. O desempenho passado não é necessariamente indicativo de resultados futuros, e qualquer pessoa que atue com base nesta informação fá-lo inteiramente por sua conta e risco.

 

Este conteúdo patrocinado foi produzido em colaboração com a XTB.

Recomendadas

Veja a JE Brand Channel Talks: Já conhece a marca própria de acessórios e gadgets da iServices?

A iServices é uma das líderes de mercado na reparação smartphones, tablets e computadores. Conheça agora a marca própria de acessórios e gadgets da iServices, um segmento já representa 15% da faturação da empresa.

Mercado global de automação de marketing deve crescer 14,2% em 2022

O estudo da consultora Emailmonday revela que, em média, 56% das empresas já recorrem à automação de marketing, enquanto 40% das empresas B2B planeiam adotar a tecnologia

Já conhece a marca própria de acessórios e gadgets da iServices?

A marca líder em reparação de smartphones, tablets e computadores tem vindo a consolidar a sua marca própria de acessórios e gadgets nos últimos dois anos.
Comentários