Comentário. Petróleo em mínimos desde agosto

O petróleo tocou um novo mínimo desde Agosto, enquanto praticamente todo o Velho Continente negoceia no vermelho.

“Um dos membros votantes do Comité de Política Monetária da FED, Williams, em declarações no passado sábado, referiu acreditar no aumento da taxa de juro nos Estados Unidos, na próxima reunião de Dezembro. Para este governador, o mercado de trabalho já mostrou suficientes sinais para que a decisão seja tomada. Foram estas declarações que tornaram possível a realização de um novo mínimo relativo no EURUSD, que tocou os 1,06 esta manhã.

Este movimento expectável na divisa americana está já a causar efeitos nas matérias primas e restantes activos de risco. O petróleo, por exemplo, tocou um novo mínimo desde Agosto, enquanto praticamente todo o Velho Continente negoceia no vermelho. Uma vez que esta semana será mais curta para o mercado americano em virtude da celebração do Thanksgiving, existe uma forte probabilidade de intensificação da negociação até à próxima quarta-feira, véspera de feriado.

Em semana de muito provável indigitação de António Costa do Partido Socialista, as yields da dívida portuguesa a 10 anos estreiam-se a negociar com um movimento altista. Uma vez que esse evento político já é aguardado pelos mercados, a subida dos juros da dívida nacional está relacionada com o efeito sistémico da zona euro. Ainda que controlada, a subida das yields no mercado americano provocará uma subida das yields de praticamente todos os países, sendo que Portugal não será excepção.

Ações

Deutsche Bank –  o banco planeia cortar cerca de mil postos de trabalho em Londres, mas cá em Portugal continua com investimentos em centros comerciais. Para além do centros comercial Fórum Madeira no Funchal e  dos escritórios Office Oriente no parque das nações em Lisboa, o banco detém agora também os centros comerciais do Dolce Vita no Porto, Douro e Coimbra.

Novartis – foi aprovada pela Federal Drug Administration (FDA) a droga que permite recuperar de um cancro de pele agressivo. Nesta fase a empresa apresenta boas perspectivas de vendas e deverá consolidar-se neste mercado nos próximos anos.

Sessão Europeia

  • As principais praças europeias abriram esta manhã em queda, depois de uma excelente semana, em que as valorizações foram constantes. Os índices parecem estar assim a fazer uma ligeira correcção, esperando também a divulgação dos dados do sector da manufactura, de forma, a calcular o crescimento da actividade económica na zona euro. As recentes tentativas de terrorismo podem também ter contribuído para este início tímido dos índices.
  • O PSI20 segue em linha com a tendência do resto da Europa, sendo dos índices que apresenta a menor queda até ao momento. Tal como no resto da Europa, o sector energético e de retalho tem sido dos mais afectados no índice português com os títulos da EDP, Altri, Ren, Galp e Jerónimo Martins. O sector bancário está a ter um comportamento bastante positivo, com apenas o BPI a registar uma perda ligeira. Teixira Duarte, Impresa e Pharol estão entre as cotadas com melhores performances no dia de hoje.
  • Na Alemanha, o PMI sobre a manufactura do mês de Novembro saiu acima das expectativas (52.6 vs exp. 52.2), sendo que o PMI sobre a manufactura da zona euro também saiu acima do esperado (52.8 vs exp. 52.3).

 

Sessão Asiática

  • Na abertura semanal do mercado, o euro volta a cair para a sua tendência baixista e volta aos mínimos de sete meses na segunda-feira. A perspectiva de haver mais flexibilidade política na Europa beneficiou o dólar dos EUA, enquanto a actividade na Ásia foi marcada por um feriado no Japão.
  • A força do dólar juntamente com as preocupações sobre a procura da China serviu para empurrar os preços das commodities novamente, o envio de cobre para o menor patamar em mais de seis anos, a prata que volta a fazer mínimos desde 2010 e o ouro que segue a tendência já habitual.
  • O dólar subiu 0,4%, face ao iene, registou a sua marca nos 123,15.
  • No que respeita aos índices de acções, registou-se mais um dia calmo, o índice da Ásia-Pacífico com excepção do Japão caiu 0.2%, na China, tanto o Shanghai Composite como o CSI 300 caíram 0,56%, o principal índice da Coreia do Sul, o Kospi, subiu 0,7%, enquanto as acções australianas subiram 0,35%.

Análise técnica e fundamental

FOREX

USDJPY

Este par cambial continua a ser dos activos mais atractivos para os investidores. Após a quebra, no passado mês, da resistência dos JPY 121,90, o potencial de subida do activo aumentou exponencialmente. Em termos fundamentais, ao que tudo indica, o BoJ irá proceder ao aumento no seu programa de compra de activos, injectando assim maior liquidez de ienes no mercado e criando desta forma, maior margem de disparo no activo. No curto prazo, penso ser interessante aproveitarmos a ligeira correcção em baixa que o USD index realizou na semana passada, e assim entramos novamente dentro da tendência altista inerente ao par cambial. O principal target será sempre testar os máximos na zona dos JPY 125.”

Por Pedro Ricardo Santos,
Gestor da XTB Portugal

Recomendadas

Europa fecha em queda e PSI não é exceção. Juros soberanos em queda

As bolsas europeias fecharam em queda influenciadas pelos indicadores do Estados Unidos que sugerem maior agressividade na subida dos juros do outro lado do Atlântico.

Exportações dos EUA caíram quase 1% em outubro para 244 mil milhões de euros

Em sentido inverso, as importações registaram um ligeiro aumento de 0,6%, que se traduziu num volume de 318 mil milhões de euros. Já o défice comercial subiu 5,4% para 74,5 mil milhões de euros.

Wall Street abre mista. Vivint sobe 30% com acordo de compra

Em causa está um negócio de 2,8 mil milhões de dólares com a NRG Energy.