Petróleo em máximos de julho de 2015

A Organização dos País Exportadores de Petróleo acordou este sábado o primeiro corte de produção em oito anos.

O preço do petróleo disparou para o valor mais alto desde Julho de 2015, depois da AráBIA Saudita ter sinalizado que estaria pronta para cortar o ‘output’ mais do que o acordado na reunião da Organização dos País Exportadores de Petróleo (OPEP), realizada este fim-de-semana, em Viena.

O Brent, que serve de referência às importações portuguesas, avança 4,23% para os 56,63 dólares, enquanto o Crude escala 4,60% para os 53,87 dólares. “Isto sinaliza que a Arábia Saudita pretende acelerar o reequilibrio”, disse disse Giovanni Staunovo, analista da UBS Group AG, em Zurique, à Bloomberg.

“Estes cortes são suficientes para empurrar o mercado para um défice de petróleo”, acrescentou Neil Beveridge, analista sénior da Sanford C. Bernstein, em Hong Kong.

Recomendadas

Wall Street termina dia com Nasdaq a perder mais de 1,90%

Assim, ao final do dia em Wall Street, o Dow Jones perde 1,40% para 33.947,10 pontos, o S&P 500 cede 1,79% para 3.998,70 pontos e o tecnológico Nasdaq cai 1,93% para 11.239,94 pontos. 

Euro recua após ter negociado perto de 1,06 dólares

O euro aproximou-se hoje de 1,06 dólares, mas baixou após a divulgação de dados da economia norte-americana melhores do que o esperado, que impulsionaram o dólar.

PSI encerra sessão em alta ligeira em contraste com generalidade dos mercados europeus

O banco liderado por Miguel Maya cessou o dia com ganhos de 1,23% para 0,1479 euros, seguido da NOS, com 1,21% para 3,83 euros. A Semapa terminou o dia a subir 1,90% para 13,98 euros.
Comentários