Petróleo. OPEP decide não reduzir produção

Alguns membros da organização defendiam uma redução da produção para apoiar os preços. Arábia Saudita opôs-se a esta pretensão


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) decidiu não reduzir a produção, considerando que uma redução não teria grande efeito no mercado, anunciou o ministro do Petróleo da Nigéria, Emmanuel Ibe Kachikwu.

As declarações do ministro nigeriano, que atualmente preside à OPEP, foram feitas após uma reunião em Viena.

A OPEP tem definido como objetivo 30 milhões de barris por dia, um limite que tem sido ultrapassado em cerca de 2 milhões, mas no final da reunião não foi adiantado qualquer número.

Alguns membros da organização defendiam uma redução da produção para apoiar os preços, que têm permanecido muito baixos, mas a Arábia Saudita tem vindo a opor-se a esta pretensão.

“Decidimos adiar a decisão para a próxima reunião até que a situação seja mais clara”, disse em conferência de imprensa Abdullah el-Badri, secretário-geral da organização.

A próxima reunião ministerial da OPEP está prevista para 2 de junho de 2016.

OJE

Recomendadas

PSI no ‘verde’ no início da sessão em linha com praças europeias

No mercado petrolífero, o brent sobe 0,80% para 84,92 dólares e o crude avança 0,72% para 78,76 dólares.

Topo da Agenda: o que não pode perder nos mercados e na economia esta quarta-feira

Portugal tem mostrado algum atraso em relação ao resto da zona euro no que respeita à pressão nos preços, continuando numa dinâmica de aceleração que se estende ao indicador subjacente, levantando mais preocupações quanto à duração e extensão do fenómeno na economia nacional.

Terceiro dia consecutivo de perdas em Wall Street. S&P 500 e Nasdaq derrapam

As ações da bolsa norte-americana encerraram a sessão em queda, pelo terceiro dia consecutivo. O empresarial S&P 500 e o tecnológico Nasdaq derraparam e apenas a indústria salvou Wall Street de uma terça-feira pintada a ‘vermelho’.