Pharol e CTT levam bolsa nacional para o ‘vermelho’

O principal índice português, PSI 20, negoceia a perder 0,28%, para 5.368,38 pontos, pressionado pela Pharol, CTT e energéticas. Mercados do Velho Continente aguardam com expectativa o discurso do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, onde se prevê que sejam dadas novas pistas sobre as taxas de juros e o ‘quantitative easing’.

Reuters / Issei Kato

A bolsa negocia em meio de sessão desta quinta-feira em terreno negativo, acompanhando as praças europeias. O principal índice português, PSI 20, negoceia a perder 0,28%, para 5.368,38 pontos, pressionado pela Pharol, pelos CTT e pelas energéticas.

“A bolsa nacional mantém a tendência negativa registada ao longo de toda a manhã, em linha com as congéneres europeias”, nota Paulo Rosa, trader da Gobulling – Banco da Carregosa. A cotada que mais perde continua a ser a Pharol, “penalizada pela nova reestruturação da operadora brasileira Oi, da qual a Pharol é a maior acionista”. A empresa perde 6,27% para os 0,269 euros.

No setor da energia, a EDP recua 0,205 para os 2,924 euros, a Galp Energia perde 0,455 para os 15,660 euros e a REN cai 0,53% para os 2,417 euros.

Paulo Rosa destaca a queda dos CTT, que se veio agravar durante a manhã. A cotada desvaloriza agora 4,13% para os 3,317, a corrigir os fortes ganhos de sexta-feira passada. O trader nota ainda que o setor do retalho, que estava durante a abertura do mercado em ligeira alta, inverteu agora a tendência. A Jerónimo Martins perde 0,15% para os 16,150 euros e a Sonae resvala 0,26% para os 1,138 euros.

Em terreno negativo estão ainda os títulos do BCP (-0,42%), a Altri (-0,33%), Navigator (-0,35%) e a Semapa (-0,89%).

Em contraciclo, estão a EDP Renováveis “ainda a beneficiar da vitória no leilão para a entrega de 284,4 MW de capacidade eólica offshore, no Canadá, a partir de dezembro de 2019″. A somar estão também a NOS (0,57%), a Mota-Engil (0,21%) e a Corticeira Amorim (1,01%).

Nas restantes praças europeias, o alemão DAX perde 0,49%, o francês CAC 40 recua 0,11%, o espanhol IBEX 35 cai  0,23%, o italiano FTSE MIB desvaloriza 0,15%, o holandês AEX resvala 0,21%, e o britânico FTSE 100 tomba 0,13%.

Paulo Rosa explica que os mercados europeus aguardam com expectativa o discurso do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, onde se prevê que sejam dadas novas pistas sobre as taxas de juros e o quantitative easing. O BCE já fez entretanto saber que as taxas de juro na zona euro vão manter-se inalteradas e em mínimos históricos em 0%, um nível em vigor desde março do ano passado.

Também no Reino Unido, a política monetário será o foco do dia de hoje. O trader da Gobulling – Banco da Carregosa chama à atenção para a reunião do Banco de Inglaterra. A expetativa é de que o regulador britânico mantenha a taxa diretora de juros em 0,5%, depois de em outubro a ter subido pela primeira vez em mais de dez anos, de 0,25% para 0,5%.

Os investidores europeus estão ainda atentos ao relatório do emprego e aos números das vendas de retalho que vão ser esta quinta-feira revelados nos Estados Unidos.

No mercado petrolífero, o brent perde 0,56% para os 62,09 dólares por barril e o crude WTI valoriza 0,46% para os 56,34 dólares.

No mercado cambial, o euro recua ligeiramente 0,01%, para 1,182 dólares, e a libra soma 0,04%, para 1,42 dólares.

Relacionadas

Cinco reuniões em dois dias: bancos centrais preparam 2018

Os responsáveis de política monetária da zona euro, do Reino Unido, dos Estados Unidos, da Noruega e da Suíça têm reuniões entre quarta e quinta-feira. Com desafios diferenças para o próximo ano, cada um tomará as últimas decisões de 2017.

Pharol afunda 7% e mantém bolsa nacional em terreno negativo

O principal índice nacional, PSI 20, partilha o sentimento negativo das praças europeias, ao cair ligeiramente,. A Pharol é a cotada que mais perde esta quinta-feira, ao tombar 7,67% para os 0,265 euros.

Topo da agenda: o que não deve perder na economia e nos mercados esta semana

Cinco reuniões de bancos centrais, a votação do acordo do Brexit, a reforma fiscal norte-americana e a entrada da bitcoin no mercado de futuros de Chicago vão prender a atenção dos mercados esta semana.

Wall Street fecha mista em dia de subida dos juros da Fed

Os juros da Fed sobem e as ações sobem na bolsa. Isto porque o mercado já descontou quase na totalidade esta decisão do banco central que era mais do que esperada.
Recomendadas

PremiumReserva Federal penaliza mercados

A postura mais ‘hawkish’ do que o esperado do banco central norte-americano empurra os mercados para perto de mínimos do ano.

Wall Street encerra semana com principais índices a perder mais de 1,50%

O Dow Jones encerrou o dia a ceder 1,62% para 29.590,41 pontos, o S&P500 a perder 1,67% para 3.695,10 pontos e o tecnológico Nasdaq a recuar 1,80% para 10.867,93 pontos.

Euro e libra recuam para mínimos de décadas face ao dólar

O euro e a libra terminaram hoje a semana a recuar para mínimos de décadas face ao dólar, com as moedas europeias pressionadas por receios de recessão e o dólar a beneficiar do estatuto de ativo seguro.
Comentários