PIB da Madeira cresceu 1,8% em 2019 apesar de “recuo significativo” da Zona Franca

Em 2019 o principal ramo da economia regional, o setor do comércio, transportes, alojamento e restauração acabou por ter um “desempenho modesto”, que se traduziu numa estagnação, diz a Direção Regional de Estatística (DREM).

O Produto Interno Bruto (PIB) da Madeira atingiu os 5,1 mil milhões de euros, em 2019, um crescimento de 1,8%, de acordo com os dados da Direção Regional de Estatística (DREM).

“Apesar de, em relação à informação provisória, o crescimento da economia da região ter sido revisto em alta, a variação manteve-se num patamar inferior à média do país (+2,7%), embora essa situação seja imputável à componente CINM, que observou um recuo significativo em 2019”, diz a DREM.

Em 2019, refere a DREM, o principal ramo da economia regional, o setor do comércio, transportes, alojamento e restauração acabou por ter um “desempenho modesto”, que se traduziu numa estagnação.

Os dados da DREM dizem também que a Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF, a componente principal do investimento), realizada na região autónoma, ficou em 838,4 milhões de euros, mais 11,8%, acima dos 8% registados no país.

Trata-se do valor mais elevado desde 2012.

O rendimento disponível bruto (RDB) das famílias da região autónoma teve um aumento de 2,9% para os 13.362 euros. O índice de disparidade face à média nacional ficou em 95,8.

Recomendadas

OE2023: Madeira confia na “cooperação institucional” com o Governo da República

Entre os “temas de interesse” para o executivo madeirense estão o financiamento do novo Hospital da Madeira e a clarificação da comparticipação do Estado, o refinanciamento da região autónoma em 2023 e a dívida dos subsistemas de saúde.

Iniciativa Liberal critica construção de campo de futebol em Câmara de Lobos em momento de “enorme crise”

Para a Iniciativa Liberal tudo deveria estar concentrado na recuperação económica.

Madeira: Direção Regional da Saúde deixa várias sugestões para evitar doenças cardiovasculares

A Direção Regional de Saúde (DRS) salienta que as doenças cardiovasculares são a principal causa de mortalidade, no mundo, em Portugal e na Madeira. “A evidência científica demonstra que mudanças nos estilos de vida podem fazer a diferença na redução desta mortalidade”, diz a DRS.
Comentários