PIB per capita português mais longe da média da UE

PIB per capita português, medido em paridades de poder de compra, fixou-se em 74% da média europeia, indicam dados do Eurostat. Valor mais alto do Velho Continente foi registado no Luxemburgo (277%).

O Produto Interno Bruto (PIB) per capita português, medido em paridades de poder de compra, em percentagem da média da União Europeia, voltou a recuar em 2021. De acordo com os dados divulgados esta segunda-feira pelo Eurostat, o indicador ficou em 74%, menos 2,4 pontos percentuais do que em 2020.

O destaque estatístico agora conhecido dá conta de que, no último ano, entre os diversos Estados-membros, o PIB per capita variou entre 55% da média da União Europeia (valor registado na Bulgária) e 277% da média do bloco comunitário (valor registado no Luxemburgo). “O PIB per capita mostra diferenças substanciais entre os Estados-membros da União Europeia”, sublinha, assim, o Eurostat.

Já em Portugal, o PIB per capita situou-se em 74%, menos 2,4 pontos percentuais do que em 2020 e abaixo, por exemplo, de Espanha (84%), da Polónia (77%) e de Itália (95%).

Também no consumo per capita Portugal registou valores abaixo da média comunitária. Em causa está um indicador que vai mais longe na comparação europeia e reflete o nível de vida dos habitantes de cada país.

Em 2021, no que diz respeito ao consumo per capita, entre os vários Estados-membros, registou-se uma variação entre 63% da média da UE, medido em paridades de poder de compra, (valor registado na Bulgária) e 146% da média do bloco comunitário (valor registado no Luxemburgo).

Em Portugal, o consumo per capita situou-se em 83% da média da UE, menos 1,4 pontos percentuais do que em 2020.

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quarta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quarta-feira.

Revista de imprensa nacional: as notícias que estão a marcar esta quarta-feira

Cinco milhões depois a Feira Popular acabou, burlas nos arrendamentos nos sites imobiliários e justiça europeia investiga dono da TVI são algumas das manchetes que marcam o dia.

Topo da agenda: o que não pode perder na economia e nos mercados esta quarta-feira

Moção de censura do Chega debatida e votada, ANA – Aeroportos de Portugal ouvida na Assembleia da República e deputados decidem se chamam Pedro Nuno Santos por causa do novo aeroporto do Montijo.
Comentários