Pilotos da Lufthansa votam a favor de possível greve

A estrutura sindical, denominada Vereinigung Cockpit e que defende aumentos salariais de 5,5% este ano e um ajustamento automático dos vencimentos à taxa de inflação a partir de 2023, afirmou, no entanto, que a paralisação ainda pode ser evitada pela companhia aérea.

Pilotos da Lufthansa que reclamam aumentos salariais votaram, este domingo, a favor de uma possível greve na companhia aérea alemã, anunciou um sindicato, considerando a decisão um “sinal inconfundível” para a empresa da determinação daqueles profissionais.

A estrutura sindical, denominada Vereinigung Cockpit e que defende aumentos salariais de 5,5% este ano e um ajustamento automático dos vencimentos à taxa de inflação a partir de 2023, afirmou, no entanto, que a paralisação ainda pode ser evitada pela companhia aérea, nas negociações que estão a decorrer.

De acordo com fonte sindical, em comunicado citado pela Associated Press (AP), a Lufthansa “ainda não fez uma oferta negociável” aos pilotos em seis rondas de negociações já realizadas.

O sindicato sublinhou que 97,6% dos pilotos da companhia aérea alemã aprovou a convocação da paralisação, mas que a votação “ainda não leva necessariamente à greve, mas é um sinal inequívoco para a Lufthansa levar a sério as necessidades das tripulações”.

As disputas salariais na Lufthansa levaram, na passada quarta-feira, a uma greve de um dia do pessoal de terra da companhia alemã, convocada por outro sindicato, que resultou no cancelamento de mais de um milhar de voos.

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta terça-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta terça-feira.

Negócios com empresas portuguesas caem nos primeiros sete meses de 2022

As fusões e aquisições caíram 24% para 249, em comparação com o mesmo período do ano passado, e o valor dos mesmos recuou 61% para 5,8 mil milhões de euros. Garrigues, JP. Morgane e Seale & Associates lideram assessorias.

Pepco. “Primark da Polónia” vai abrir as primeiras lojas em Portugal no próximo ano

Portugal será o 18º mercado da marca que pertence ao britânico Pepco Group e tem cerca de 3 mil lojas na Europa. Inicialmente, haverá estabelecimentos no Porto, em Lisboa e na região do Algarve, mas o objetivo é expandir para o resto do país.
Comentários