Pior resultado desde 1976. China regista desaceleração da economia

A diminuição populacional ajudou a que este fosse o pior resultado já registado, desde 1976.

A China registou o pior resultado no crescimento económico desde há 40 anos. O quarto trimestre foi atingido pelas restrições Covid, as políticas de ‘zero Covid’ do país, fechando as fronteiras e bloqueando cidades inteiras e pela crise no mercado imobiliário.

Segundo dados divulgados pelo Gabinete Nacional de Estatística (GNE), o PIB cresceu mais 2,9% no último trimestre no ano face ao anterior, mas teve um crescimento mais lento que no terceiro trimestre de 2022 (3,9%). A abertura de fronteiras e o levantamento das restrições Covid podem vir a impulsionar o crescimento económico da China, mas também foram medidas que aumentaram o número de mortos pelo vírus que levou ao fecho do mundo em 2020.

No entanto, este crescimento de PIB ficou aquém da meta de 5,5% e do crescimento em 2021 de 8,4%. Excluindo o ano de 2021, onde o PIB cresceu apenas 2,2%, por ter sido o ano mais afetado pelo vírus, este é o pior resultado registado pelo país desde 1976, ano da última Revolução Cultural Chinesa.

O sector imobiliário é um forte mercado na China, e está em crise neste momento, também as exportações diminuíram, uma vez que a procura por produtos chineses na Europa e nos Estados Unidos abrandou, devido a um aumento das taxas de juro para combater as altas taxas de inflação.

“O ano de 2023 na China será acidentado, não teremos apenas de enfrentar a ameaça de novas ondas de Covid-19, mas o agravamento do mercado imobiliário residencial do país e a fraca procura global pelas suas exportações serão travões significativos”, apontou Harry Murphy Cruise, economista da Moody’s Analytics, à “Reuters”.

China regista primeiro declínio populacional

O ano de 2022 foi o ano em que a China registou o primeiro declínio populacional em mais de 60 anos, esta diminuição contribuiu para a desaceleração da economia. Uma população de 1,411 bilhões registou uma queda de 850 mil pessoas.

O aumento das mortes por Covid, segundo economistas, pode prejudicar o crescimento a curto prazo da economia.

Relacionadas

China regista primeiro declínio populacional em mais de meio século

O maior custo de vida e com a saúde e educação das crianças e uma mudança nas atitudes culturais que privilegia famílias menores estão entre os motivos citados para o declínio nos nascimentos.
Recomendadas

PremiumEfeitos base levam Portugal a liderar crescimento europeu

Os 6,7% de 2022 ficam bem acima dos 3,5% da zona euro e até da previsão de 6,5% do Governo, mas refletem um atraso na recuperação da economia nacional. Inflação voltou a recuar abaixo da europeia, mas core ainda preocupa.
gasolina_combustiveis_greve_motoristas

Governo mantém apoios aos combustíveis em fevereiro. Gasolina com maior desconto

Esta decisão significa que, em fevereiro, há um alívio na carga fiscal dos combustíveis. Considerando todas as medidas em vigor, a redução da carga fiscal passará a ser de 35,9 cêntimos por litro de gasóleo e de 34,8 cêntimos por litro de gasolina, refere o gabinete de Fernando Medina.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta sexta-feira, 3 de fevereiro

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcaram o dia informativo desta sexta-feira.
Comentários