PJ detém principal suspeito do homicídio nos festejos do título do FC Porto (com áudio)

“Já o rapaz estava no chão, todo desfigurado, o filho do Marco ‘Orelhas’ pôs-se em cima dele e deu-lhe várias facadas no peito”, disse ao “CM” uma testemunha. Número dois dos Super Dragões, e pai do jovem detido, encontra-se em fuga.

Mário Cruz/Lusa

A Polícia Judiciária anunciou hoje que deteve Renato Gonçalves, 19 anos, na noite de segunda-feira, pela prática do crime de homicídio qualificado. O jovem é o principal suspeito da morte de Igor Silva, 26 anos, nos festejos do título do FC Porto na madrugada do passado domingo na Alameda das Antas, junto ao Estádio do Dragão.

“Os factos ocorreram na madrugada do dia 08.05.2022, na cidade do Porto, em retaliação por uma sucessão de agressões que, desde janeiro deste ano, vinham ocorrendo entre o arguido, familiares deste e a vítima. Na ocasião, um grupo de indivíduos, de entre os quais o arguido, perseguiu a vítima, alcançando e agredindo a mesma com murros e pontapés”, segundo a PJ;

“Dada a intervenção de alguns populares, que foram igualmente agredidos, a vítima logrou afastar-se do local, vindo a ser surpreendida pelo arguido, o qual, munido de uma arma branca de dimensões significativas, a atingiu repetidamente e com extrema violência, provocando-lhe a morte. Em ato contínuo, todo o grupo agressor dispersou, tendo-se o arguido colocado em fuga”, acrescenta.

“Pese embora o contexto de enorme confusão em que os factos ocorreram e a existência de diversa informação errada transmitida, foi possível, em resultado de um trabalho ininterrupto e exaustivo de recolha de prova, reunir em menos de 48 horas elementos indiciários e, simultaneamente, localizar e deter o presumível autor das agressões mortais”, destaca.

Renato Gonçalves, “sem antecedentes criminais, vai ser presente a primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação tidas por adequadas”.

Já o seu pai encontra-se a monte, sendo também suspeito das agressões fatais, destaca o “Correio da Manhã”. Marco ‘Orelhas’ Gonçalves é o número dois da claque dos Super Dragões.

Os dois jovens tinham um historial de desavenças. Renato provocou estragos num bar do Porto onde o irmão de Igor é segurança. Depois, Igor agrediu Renato e a irmã na Queima das Fitas; a mãe de Renato ameaçou depois a mãe de Igor; em pleno Estádio da Luz, durante o Benfica-FC Porto, Igor agrediu Marco ‘Orelhas’, em frente a todos os membros dos Super Dragões, conta o “CM”.

Como é que teve lugar o homicídio? “Eram mais de  20 pessoas a correr entre a multidão e a gritar ‘abram alas, abram alas’. Vieram diretos ao Igor, com facas e outras armas brancas e deram-lhe até o matar. Já o rapaz estava no chão, todo desfigurado, o filho do Marco ‘Orelhas’ pôs-se em cima dele e deu-lhe várias facadas no peito, depois fugiram todos”, contou uma testemunha anónima ao “CM”. Igor, natural do bairro do Ramalde, ainda saiu vivo da Alameda das Antas, mas morreu a caminho do Hospital São João.

Quem é Marco ‘Orelhas’? O número dois dos Super Dragões tornou-se conhecido em 2017 quando partiu o nariz ao árbitro do jogo Rio Tinto-Canelas 2010 com uma joelhada, tendo sido condenado a 11 meses de pensa suspensa e a pagar uma indemnização de 16 mil euros ao árbitro, e ficou também impedido de frequentar estádios ou recintos desportivos durante 11 meses.

Recomendadas

Advogada sul-africana: “Senti-me manipulada por João Rendeiro. Pensou que seria boa ideia um acordo ilegal” (com áudio)

June Marks revela a vida na prisão do antigo banqueiro e afasta a hipótese de homicídio, recordando que Rendeiro mantinha boas relações com vários colegas de cela, incluindo com prisioneiros moçambicanos. A advogada diz que Rendeiro só lhe queria pagar, se fosse libertado. E que a quantia equivalia ao salário mínimo do país.

Processos de corrupção disparam 42% e casos por resolver batem recorde

Em 2021 foi também batido o recorde com 909 inquéritos pendentes, o que representa um crescimento de 15% face a 2020, segundo o “Diário de Notícias”.

Número dois dos Super Dragões já se apresentou na PJ (com áudio)

O pai do homicida confesso de Igor Silva apresentou-se na PJ apesar de não ter mandato pendente, revela hoje o “JN”.
Comentários