Polícia Judiciária volta a fazer buscas na CML por suspeitas de corrupção na liderança de Medina

A Polícia Judiciária voltou, esta terça-feira, à Câmara de Lisboa para fazer novas buscas. Desta vez, em causa está uma investigação no âmbito da operação Tutti Frutti. Inspetores estão a analisar atas de reuniões camarárias relacionadas com processos urbanísticos apresentados por Manuel Salgado, ex-vereador do Urbanismo na liderança de Fernando Medina.

A Polícia Judiciária (PJ) voltou, na manhã desta terça-feira, à Câmara Municipal de Lisboa (CML) para fazer novas buscas. Em causa, revela a CNN, está uma investigação no âmbito da operação Tutti Frutti, em que estão a ser investigados antigos responsáveis pela autarquia da capital, como Fernando Medina, e ainda o atual ministro do Ambiente Duarte Cordeiro.

Ainda de acordo com a estação televisiva, os inspetores da força de segurança estão a analisar atas de reuniões camarárias relacionadas com processos urbanísticos apresentados por Manuel Salgado, ex-vereador do Urbanismo.

Já na semana passada a PJ tinha feito buscas na Câmara de Lisboa por “suspeitas de corrupção, participação económica em negócio e falsificação”, numa nomeação para “prestação de serviços que foi assinada em 2015” pelo então presidente da autarquia, Fernando Medina.

“Os alvos, por suspeitas de corrupção, são Joaquim Morão, histórico socialista e ex-autarca de Castelo Branco e de Idanha-a-Nova, e o seu amigo António Realinho, empresário da mesma zona do país, que até já cumpriu pena de prisão por burla”, indicou na altura a TVI, que avançou a informação.

Recomendadas

RCA. Costa adverte que seria grave retirar forças militares e deixar este país exposto

O primeiro-ministro defende a continuidade da presença de Portugal nas missões das Nações Unidas na República Centro-Africana (RCA) e adverte que o pior seria retirar do terreno as forças de paz multinacionais e deixar este país exposto.

Lucros da banca são à custa de quem “mal pode” jantar à segunda-feira

O secretário-geral do PCP repudiou as declarações do presidente do Santander Totta que criticou os comportamentos dos portugueses.

Áreas da energia, turismo e construção interessam a Portugal e Brasil

O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas afirmou à Lusa que existe vontade de Portugal e do Brasil em aprofundar as relações económicas nas áreas de Energia, turismo e construção.
Comentários