Plastipak oferece 328 milhões por divisão de embalagens da La Seda

A empresa norte-americana Plastipak fez uma oferta de 328 milhões de euros pela divisão de embalagens da La Seda de Barcelona, que aguarda agora autorização judicial para ser vendida, revelaram à agência EFE fontes conhecedoras do negócio. A La Seda de Barcelona é dona de 41,1% da portuguesa Artlant – unidade e fábrica europeia de […]

A empresa norte-americana Plastipak fez uma oferta de 328 milhões de euros pela divisão de embalagens da La Seda de Barcelona, que aguarda agora autorização judicial para ser vendida, revelaram à agência EFE fontes conhecedoras do negócio.

A La Seda de Barcelona é dona de 41,1% da portuguesa Artlant – unidade e fábrica europeia de PTA, matéria-prima utilizada para a produção de PET – que tem como acionistas a BA Vidro e Caixa Geral de Depósitos.

A Forest Partners, que desde o início do ano está mandatada judicialmente pelo Tribunal de Barcelona para gerir a La Seda, já reclamou permissão para efetuar a venda da divisão de embalagem à norte-americana Plastipak, indicaram as mesmas fontes à EFE.

A Plastipak é uma das empresas líderes no desenvolvimento, fabrico e distribuição de embalagens, com um volume de negócios anual de 2.400 milhões de dólares (1,92 mil milhões de euros).

Concorreram inicialmente cinco interessados na divisão de embalagens da La Seda de Barcelona, embora numa segunda fase tal número tenha sido reduzido para três.

Em janeiro havia sido noticiado que a BA Vidro e o fundo de investimento norte-americano Anchorage estava em negociações com o administrador de insolvência da La Seda de Barcelona e um juiz para tentar travar a liquidação da empresa química catalã, segundo a imprensa.

O jornal El Economista referiu então que o grupo português BA Vidro, maior acionista da La Seda, e o Anchorage procuraram chegar a acordo sobre eventuais cortes na dívida para conseguir levantar o pedido de liquidação formulado há duas semanas.

A La Seda solicitou em janeiro deste ano a sua liquidação, decisão comunicada pelo presidente do grupo químico, o português Carlos Moreira da Silva, à Comissão Nacional de Mercado de Valores espanhola.

A decisão surgiu depois da falta de consenso entre as entidades que têm apoiado financeiramente a empresa, nomeadamente o fundo Anchorage, relativamente a uma proposta para ‘hair cuts’ de até 86% na dívida.

OJE/Lusa

Recomendadas

Patrões vão ter majoração em 50% dos custos com aumentos salariais no IRC

No âmbito do acordo de rendimentos, o Governo decidiu propor aos parceiros sociais uma majoração em 50% dos custos com a valorização salarial em IRC. Patrões têm reclamado, note-se, medidas mais transversais.

Governo propõe reforço do IRS Jovem. Isenção sobe para 50% no primeiro ano

Jovens vão passar a ter um desconto fiscal maior, no início da sua carreira. IRS Jovem passará a prever uma isenção de 50%, em vez de 30%, no primeiro ano.

Governo quer atualizar os escalões do IRS em 5,1% em 2023

O Governo decidiu rever em alta o referencial dos aumentos salariais, puxando-o para o valor do aumento da massa salarial da Função Pública: 5,1%. Será esse o número que será usado para atualizar os escalões do IRS.