PremiumBastonário dos Notários: “Plataforma digital estará disponível para os cidadãos no final deste ano”

Jorge Silva fala sobre a criação da plataforma digital dos notários e a atualidade. Defende que a Ordem dos Advogados não pode criar um sistema de triagem para os alertas de branqueamento de capitais.

O bastonário da Ordem dos Notários, Jorge Silva, é o convidado desta semana do programa Decisores, nesta edição apresentado por Ricardo Santos Ferreira, transmitido hoje, às 11h00, nos sites e nas redes sociais do Jornal Económico.

Foi eleito no final do ano passado, que balanço faz deste primeiros meses na Ordem?
O balanço é extremamente positivo. Desde logo, reatámos alguns laços perdidos, nomeadamente com o Ministério da Justiça e várias instituições públicas. Relançámos um pouco a atividade notarial, focando-nos naquilo que é essencial para nós, isto é, um serviço público moderno, desmaterializado e baseado naquilo que são as necessidades dos cidadãos e das empresas. Foram meses de muito trabalho, mas bastante compensadores e perspectiva um futuro muito interessante para aquilo que é o serviço notarial português.

 

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

“Falar Direito”. “Diploma da renegociação cria ónus sobre bancos que têm crédito à habitação”

O advogado Francisco Barona, sócio do departamento financeiro e governance da Sérvulo, explica quais são, na sua perspetiva, os dois principais problemas associados ao novo diploma relativo à renegociação de créditos.

Renegociação de créditos: o que muda com a nova lei? Ouça o “Falar Direito”

O advogado Francisco Barona, sócio do departamento financeiro e governance da Sérvulo, explica o que muda para consumidores e banca com a entrada em vigor do novo diploma relativo à renegociação de créditos.

SRS Legal assessora a private equity Gyrus Capital na compra do grupo de tecnologia KRS

A SRS Legal assessorou a Gyrus Capital, um dos principais gestores suíços de fundos de Private Equity, na aquisição do KSR Group (incluindo a subsidiária portuguesa KSR) e do Grupo Xcability (incluindo a subsidiária portuguesa Xcability).
Comentários