PremiumPME terão mais uma forma de financiamento

Advogado Gustavo Ordonhas Oliveira diz que já há interessados em criar fundos de crédito, inclusive gestoras de fundos de capital de risco.

No início do próximo ano, vai surgir um intermédio entre o financiamento bancário e o das sociedades de capital de risco. Chamam-me fundos de crédito e, segundo o advogado Gustavo Ordonhas Oliveira, irão captar especial interesse por parte das gestoras de fundos de venture capital, que investem em startups. O sócio da SRS Advogados diz que é expectável que os loan funds tragam uma mais-valia às empresas, porque, ao contrário dos bancos que apenas fazem o empréstimo, estes instrumentos poderão optar por seguir a abordagem do capital de risco e dar apoio ao negócio, contribuindo para que cresça.

“Temos tido vários contactos de vários players com interesse, inclusive players ativos no mercado dos NLP [non performing loans] e sociedades gestoras de fundos de capital de risco. Ou seja, esta pode ser mais uma linha de negócio”, explicou o jurista ao Jornal Económico, referindo que estes mecanismos concorrem com a banca, mas podem, ao mesmo tempo, dar-lhes mais capacidade de manobra para emprestar dinheiro se comprarem crédito malparado.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Diferendo entre Ordem dos Advogados e Conselho de Deontologia de Lisboa volta “à estaca zero”

O despacho deixa o recurso apresentado em janeiro desse ano pelo bastonário, Luís Menezes Leitão, novamente por decidir, contrariando o próprio entendimento que esta 3.ª Secção do CS havia tido anteriormente.

Advogados do caso BES querem Supremo a decidir pela manutenção de Ivo Rosa no processo

Na terça-feira a providência 24/22, deu entrada no Supremo e ficou decidido como relator o juiz conselheiro Manuel Capelo, segundo a “TSF”.

Empresas podem participar num estudo gratuito sobre clima organizacional até novembro

Em cada edição, o Índice da Excelência premeia as organizações que apresentam um melhor clima organizacional e que se destacam como organizações de excelência em Portugal. Para participar, as empresas terão de concluir a sua inscrição até ao final de novembro.
Comentários