PMI dos EUA: atividade económica nos níveis mais baixos dos últimos 9 meses

Segundo o relatório da IHS Markit, a desaceleração no setor dos serviços anulou a “robusta e acelerada” subida da produção industrial.

A atividade económica nos Estados Unidos atingiu em dezembro o valor mais baixo em 9 meses, segundo o índice de gestores de Compras (PMI, sigla inglesa), divulgado esta quinta-feira.

Segundo os dados avançados pelo comunicado do IHS Markit, responsável pela medição PMI, notam-se duas tendências divergentes no setor privado da economia americana, com uma desaceleração no setor dos serviços a anular a “robusta e acelerada” subida da produção industrial. Como consequência, o índice PMI americano desceu em dezembro para 53,0, depois dos 54,5 registados em Novembro.

Esta medição representa assim a “mais fraca expansão da atividade do setor privado desde março”, apesar da subida registada na indústria ter sido a maior desde janeiro. Nos serviços, registaram-se os valores mais baixos desde há 15 meses. No entanto, aponta para um crescimento “modesto” de “pouco mais de 2% no quarto trimestre” diz o relatório da IHS Markit.

Segundo Chris Williamson, o Economista Chefe da IHS Markit, este relatório trouxe boas e más notícias: enquanto no setor industrial o crescimento da criação de emprego foi o mais elevado dos últimos 3 anos, nos serviços este foi o mais baixo desde maio.

“Viram-se divergências semelhantes em relação ao crescimento futuro”, acrescentou Williamson. “As expectativas na indústria subiram para máximos de dois anos”, enquanto nos serviços atingiram os valores mais baixos “do último ano e meio”.

“Com os serviços a representarem uma muito maior fatia da economia do que a indústria”, explica Williamson, “o panorama geral é portanto de uma exuberância do setor industrial a ser ensombrada pelo mais deprimido setor dos serviços”.

 

Recomendadas

Moçambique baixa receitas fiscais do gás ao fundo soberano para 40%

Moçambique deverá ser um dos maiores exportadores mundiais de gás a partir de 2024, beneficiando não só do aumento dos preços, no seguimento da invasão da Ucrânia pela Rússia, mas também pela transição energética.

PCP defende aumento do salário mínimo nacional para 850 euros em janeiro

O secretário-geral do PCP acusou o Governo de querer “retomar todos os caminhos da política de direita, fazer comprimir ainda mais os salários, facilitar a exploração, abrir espaço para os negócios privados na saúde e na educação, condicionando ou justificando as suas opções com as orientações e imposições da União Europeia e do euro”.

Respostas Rápidas: como deve investir a pensar na reforma?

Com uma estrutura demográfica cada vez mais envelhecida, as dúvidas em torno da sustentabilidade da Segurança Social no médio-prazo reforçam o papel da poupança privada no rendimento dos portugueses em reforma, pelo que importa compreender os vários instrumentos financeiros ao seu dispor.
Comentários