Polícia estima que haja 20 mil britânicos interessados em abusos infantis

Em declarações ao jornal, o responsável pela área da proteção infantil do Conselho Nacional de Chefes da Polícia (NPCC), Simon Bailey, instou empresas como o Facebook e a Periscope a impedir transmissões ao vivo de imagens sexuais ou ilícitas de menores.

A policia do Reino Unido estima que devem existir cerca de 20 mil pessoas interessados em abusos infantis, a julgar pelo número de visitas em páginas na internet sobre a temática, indicou este sábado o jornal The Guardian.

Em declarações ao jornal, o responsável pela área da proteção infantil do Conselho Nacional de Chefes da Polícia (NPCC), Simon Bailey, instou empresas como o Facebook e a Periscope a impedir transmissões ao vivo de imagens sexuais ou ilícitas de menores.

“Penso que existem dezenas de milhares de homens que vão para ‘chats’ e fóruns, com o objetivo de capturar crianças”, sublinhou.

Para Simon Bailey, “a tecnologia permitiu um acesso, sem precedentes, às crianças e àqueles que têm interesse sexual por elas”.

Em dezembro, O NPCC e a Agência Nacional contra o Crime lançaram uma campanha para consciencializar os pais para a necessidade de alertarem as crianças para os riscos da internet, bem como para a importância de monitorizar o seu uso”.

Recomendadas

Irão: ‘Polícia da moralidade’ poderá ser substituída por “novas tecnologias”

O Centro de Promoção da Virtude e Proibição do Vício do Irão afirmou hoje “que a missão da polícia da moralidade terminou”, mas sublinhou que estão a ser estudadas novas tecnologias para controlar o vestuário das mulheres.

Ucrânia: Operadora de eletricidade anuncia cortes de emergência em todo o país

A operadora de eletricidade ucraniana Ukrenergo avisou hoje que vai ser preciso realizar cortes de energia de emergência em toda a Ucrânia, devido aos mais recentes ataques russos.

Mike Pence rejeita comentários de Trump contra a Constituição dos EUA

O ex-vice-presidente norte-americano Mike Pence rejeitou hoje as afirmações de Donald Trump de que deveria “acabar-se” com a Constituição do país para que pudesse ser reintegrado na Presidência.
Comentários