Polónia instala equipamento de monitorização em muro na fronteira com a Bielorrússia

A fase inicial de instalação de equipamento de monitorização de alta tecnologia ao longo de um muro na fronteira Polónia-Bielorússia foi hoje inspecionada pelo ministro do Interior polaco.

O ministro polaco, Mariusz Kaminski, disse na ocasião que o muro de 5,5 metros de altura reduziu em dez vezes as tentativas de travessia da fronteira e a Guarda de Fronteiras do país estima que o número diário de travessias de migrantes diminuiu para algumas dezenas, em comparação com milhares em 2021 e no início deste ano.

Kaminski defendeu que o muro dará à Polónia “a fronteira mais segura da União Europeia”, juntamente com a construção de uma barreira fronteiriças com o enclave russo de Kaliningrado.

Câmaras e sensores de movimentos foram até agora instalados ao longo de 21 quilómetros do muro e deverá estar concluída no final do ano a instalação de equipamento de monitorização de todos os 206 quilómetros do muro.

O muro ajudará a “prevenir a migração ilegal que tem motivações políticas e visa desestabilizar a situação na região”, disse Kaminski.

A construção do muro visa impedir o que as autoridades polacas dizem serem esforços do autoritário Presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko, para empurrar milhares de migrantes para a Polónia, com objetivo de desestabilizar a UE.

Referindo-se a incidentes violentos na fronteira há um ano, Kaminski disse que “a situação é muito, muito melhor” agora.

As difíceis condições do terreno e temperaturas gélidas resultaram na morte de pelo menos 27 migrantes, tendo as autoridades polacas frequentemente de vir em socorro de grupos em zonas pantanosas remotas.

O ministro disse ainda que uma empresa polaca vai começar este ano a instalar equipamento de alta tecnologia para monitorização ao longo da fronteira terrestre de 210 quilómetros com Kaliningrado, onde está a ser erguida uma barreira de arame farpado.

A Polónia diz que vê sinais de que a Rússia quer canalizar migrantes para o país através do enclave.

Recomendadas

ONU em São Tomé elogia autoridades após ataque a quartel e pede que país seja “bom aluno”

Em entrevista à Lusa, Eric Overvest declarou que o escritório da ONU em São Tomé e Príncipe acompanhou, ao longo do dia, os acontecimentos, junto das autoridades, na sequência do assalto, por quatro homens, ao quartel militar, que o primeiro-ministro, Patrice Trovoada, classificou como “tentativa de golpe de Estado”.

PremiumJoe Biden arrisca teto para o preço do petróleo russo

A decisão não conseguiu consenso na União Europeia. Moscovo adverte que pode ser o primeiro passo para uma crise petrolífera sem precedentes. Com a Ucrânia às escuras e com frio, o Kremlin acha que a NATO já está a combater a Rússia.

Ex-ministro das Finanças do Luxemburgo vai liderar fundo de resgate da zona euro

Num comunicado hoje divulgado, o fundo de resgate do euro indica que “o Conselho de Governadores do Mecanismo Europeu de Estabilidade, que junta os 19 ministros das Finanças da moeda única, nomeou hoje o ex-ministro das finanças luxemburguês Pierre Gramegna para o cargo de diretor-executivo”, que ocupa a partir de 1 de dezembro.
Comentários