Polónia volta a liderar entre os países que acolheram mais refugiados ucranianos

Com dados disponíveis sobre 22 Estados-membros da União Europeia (UE), foram 12 os que concederam estatuto de proteção a menos pessoas do que no mês de julho, de acordo com os dados do Eurostat.

A Polónia continua a ser o país que acolhe mais cidadãos ucranianos refugiados da guerra, em consequência da guerra com a Rússia. Em agosto, foram 67.280 pessoas a receber estatuto de proteção temporária. Seguem-se a Alemanha (62.140), Roménia (9.715), França (6.410) e Espanha (6.165), de acordo com o Eurostat.

Entre os 22 Estados-membros da União Europeia (UE) sobre os quais existem dados, foram 12 os que receberam menos pessoas em agosto do que em julho, com as maiores quedas a ocorrerem na Bulgária (-1.985 pessoas em agosto do que em julho), Irlanda (-1.690) e Hungria (-1.240). Inversamente, os aumentos mais significativos ocorreram na Polónia (+9.990), França (+2.585) e Roménia (+2.320).

Até 31 de agosto, a Polónia tinha registado 1,3 milhões de refugiados da guerra na Ucrânia. No número total, seguia-se a Espanha (139.965), Bulgária (130.290) e Eslováquia (86.965).

Fazendo às contas ao número de refugiados ucranianos por cada mil cidadãos do país de destino, a Estónia é líder, com uma média de 1,9 cidadãos ucranianos que fugiram à guerra por cada mil nativos. Segue-se a Polónia (1,8) e a Lituânia (1,4).

Dos ucranianos que procuraram asilo na Polónia em agosto, 19.120 (cerca de 28% do total de refugiados naquele país) eram menores de idade. Seguem-se a Alemanha (18.545, 30%) e a Roménia (2.970, 31%).

Recomendadas

Mais de 300 crianças e jovens morrem por dia por causas relacionadas com a sida

Mais de 300 crianças e jovens morrem diariamente por causas relacionadas com a sida, totalizando cerca de 110 mil só em 2021, revela um relatório global da Unicef, que alerta para a estagnação sem precedentes no combate à sida.

PGR angolana diz que investigação a ex-PR irá avançar após fim de período de imunidade

O Procurador-Geral da República de Angola afirmou hoje que a investigação ao ex-Presidente angolano Manuel Vicente é um processo “vai ser trabalhado normalmente” depois de ter terminado o período de imunidade legal, cinco anos após terminar funções.

PGR angolana promete processo contra Isabel dos Santos, mesmo sem ouvir empresária

O Procurador-Geral da República de Angola prometeu hoje que o processo contra Isabel dos Santos vai avançar, mesmo que a empresária não preste declarações no âmbito do mandado de detenção internacional pedido pelas autoridades de Angola.
Comentários