Ponte Vasco da Gama cortada ao trânsito na noite de quarta para quinta-feira

A Ponte Vasco da Gama, que liga Lisboa e Alcochete (distrito de Setúbal), vai estar encerrada ao trânsito na noite de quarta para quinta-feira, devido aos trabalhos que estão a decorrer na infraestrutura, informou a Lusoponte.

Em comunicado, a empresa adianta que a interrupção total ao tráfego rodoviário irá ocorrer entre as 23:00 de quarta-feira e as 07:00 de quinta-feira. “Este procedimento decorre da necessidade de verificações topográficas no âmbito dos trabalhos a decorrer nesta ponte”, indica a Lusoponte na nota.

Como alternativa, a Lusoponte sugere a utilização da Ponte 25 de Abril, “cumprindo as restrições impostas nesta travessia, nomeadamente para os transportes de matérias perigosas”, que são apenas permitidos entre as 02:00 e as 05:00. Em abril, a empresa anunciou a redução da largura das vias até ao início de novembro, devido à realização de obras, embora com a manutenção das seis vias de circulação.

As “alterações na configuração rodoviária” foram consideradas necessárias para a substituição de “quatro tirantes da zona principal”. Os trabalhos, indicou então a empresa, surgiram na sequência de um acidente com um autocarro que ardeu totalmente no tabuleiro da ponte em junho de 2021, o que “causou apenas danos materiais na proteção de quatro tirantes”.

A Lusoponte adiantou que haveria a necessidade de proceder “ao corte total ou parcial da ponte para verificações topográficas” em diferentes datas. A Ponte Vasco da Gama liga as duas margens do Tejo entre Lisboa e Montijo/Alcochete e a Ponte 25 de Abril liga Lisboa e Almada.

Recomendadas

Cenário económico não anula metas de descarbonização

O cenário de uma possível recessão, associada à já frágil conjuntura macroeconómica, não assusta o sector, que diz estar “bem mais preparado” do que em 2008. As fragilidades herdades da pandemia persistem, mas importa não perder o foco das metas estabelecidas.

PremiumMudar o sector alimentar para atingir metas de carbono zero

Mesmo que todas as emissões nocivas fossem imediatamente interrompidas, as emissões do sistema alimentar global seriam suficientes para elevar o limite de subida da temperatura global em 1,5°C graus.

Projetos de transição vão sofrer com efeitos da crise

Os processos de transição climática em curso já estão a sofrer soluços no atual cenário macroeconómico e há lições a tirar. “Tudo vai custar muito mais do que se pensava”, garante o CEO da Madoqua Renewables ao Jornal Económico.
Comentários