Portal do SNS vai ter informação atualizada sobre centros de saúde com horários alargados

O portal do SNS vai ter informação atualizada diariamente sobre os centros de saúde com horário alargado ou com atendimentos suplementares, para evitar a sobrelotação das urgências hospitalares, anunciou hoje o Governo.

Hoje já estão abertos 36 centros de saúde na região de Lisboa e Vale do Tejo, avançou o ministro da Saúde, Manuel Pizarro, na apresentação do Plano Estratégico do Ministério da Saúde: Resposta Sazonal em Saúde – Inverno 2022-2023 no Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), em Lisboa.

Na apresentação do plano, onde estiveram presentes também o diretor executivo do SNS, Fernando Araújo e a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, a secretária de Estado da Promoção da Saúde, Margarida Tavares disse que o portal do SNS vai ter “informação atualizada diariamente, para que as pessoas possam acorrer aos locais que estão abertos.

“Queremos que tenham um acesso fácil à informação de que serviços estão abertos, em que horas, e essa informação vai estar disponível, nomeadamente no que diz respeito aos cuidados de saúde primários, com horários alargados ou com atendimentos complementares”, disse Margarida Tavares.

Recomendadas

Sindicatos dos médicos e Ministério da Saúde voltam hoje às negociações (com áudio)

Sindicatos dos médicos e Ministério da Saúde voltam hoje a reunir-se para uma segunda ronda de negociações, depois do encontro realizado em 09 de novembro que deu início formal a este processo.

Compradores de dívidas processam SNS em centenas de milhões de euros

Empresa de factoring tem comprado créditos de fornecedores hospitalares e, por via judicial, exige não só o pagamento da dívida, como de juros de mora e de indemnizações. Só no último mês e meio deram entrada em Lisboa 32 ações, no valor de 27 milhões. ACSS já criou um grupo de estudo para analisar o caso. A notícia faz manchete na edição desta semana do semanário Novo.

“Orçamento da Saúde para o próximo ano poderá não ser suficiente”, alerta Correia de Campos

O antigo presidente do Conselho Económico e Social destaca o aumento de 2,7% do orçamento para a Saúde para 2023 mas adverte que o mesmo não vai ser suficiente tendo em conta que não acompanha “nem a inflação, nem a manutenção do equipamento, nem o reforço salarial necessário”
Comentários