PremiumPortas abertas a uma aprovação que pode vir de muitos lados

CDS-PP e Iniciativa Liberal foram os únicos a deixar claro que “não é não”. PS conta com abertura dos ex-parceiros de “geringonça” – e não só.

Ao quinto orçamento de António Costa e de Mário Centeno as memórias da legislatura passada não chegaram para que os antigos parceiro de “geringonça” à esquerda do PS se comprometessem com a viabilização do Orçamento do Estado para 2020 (OE2020), pedindo mais de uma relação que, se não chegou ao fim, está em crise desde as legislativas. A aprovação da proposta de lei joga-se na especialidade, enquanto o Governo tenta cativar, num sentido em nada igual ao das cativações orçamentais, os três deputados do PSD-Madeira, num cenário que faz lembrar o ‘Orçamento do Queijo Limiano’ a que António Guterres recorreu em 2000.

Apesar de Centeno ter dito ontem, em entrevista à TVI, que não vê riscos de que “exista um risco que possa alterar a trajetória das contas públicas” na negociação com os partidos necessários para garantir a aprovação, o OE2020 não agradou a todos. E em particular ao Bloco de Esquerda, que manteve o sentido de voto em aberto, avisando que, se existe um saldo positivo, parte dele pode destinar-se a áreas reivindicadas pelos bloquistas, como o investimento e a energia.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Proposta do Chega para criar comissão de inquérito à gestão da pandemia será chumbada (com áudio)

Instrumentalização e banalização de comissões parlamentares de inquérito, esbanjamento de recursos, descredibilização de consensos e criação de ‘soundbite’ são as acusações dirigidas por PS, PAN e Livre ao Chega. Desde o início da legislatura, o partido já propôs cinco comissões parlamentares de inquérito, todas rejeitadas. O dia de hoje contribuirá para a tendência.

Pequim admite que Ómicron é menos virulenta e sugere fim de ‘zero covid’

A vice-primeira-ministra chinesa encarregue de supervisionar as políticas de prevenção epidémica reconheceu hoje que o país se encontra numa “situação nova” e que a virulência da covid-19 “está a enfraquecer”, sinalizando o fim da estratégia ‘zero casos’.

Covid-19: “Casa aberta” disponível para vacinação de pessoas acima dos 60 anos

As pessoas com 60 ou mais anos podem, a partir de hoje, tomar a dose de reforço da vacina contra a covid-19 e a vacina da gripe na modalidade de “casa aberta”.
Comentários