Porto de Leixões recebe ‘Railway Summit’ prometendo aumentar carga ferroviária

Referindo-se ao terminal rodoferroviário da Guarda, Nuno Araújo, presidente do Porto de Leixões, indicou que o seu desenvolvimento “aumentará a cota de mercadoria movimentada pelo Porto de Leixões por ferrovia, contribuindo assim para alcançar os ambiciosos objetivos traçados rumo à neutralidade carbónica”.

O presidente do Porto de Leixões, Nuno Araújo, disse este domingo à Lusa, antes de receber a ‘Portugal Railway Summit’, maior evento nacional do setor ferroviário, que a carga movimentada por comboio na infraestrutura aumentará, contribuindo para a neutralidade carbónica.

A Lusa questionou o presidente da Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL) nas vésperas de acolher, no terminal de cruzeiros, a Portugal Railway Summit 2022, organizada pela Plataforma Ferroviária Nacional (PFN), acerca de vários investimentos da empresa portuária no setor ferroviário.

Referindo-se ao terminal rodoferroviário da Guarda, Nuno Araújo indicou que o seu desenvolvimento “aumentará a cota de mercadoria movimentada pelo Porto de Leixões por ferrovia, contribuindo assim para alcançar os ambiciosos objetivos traçados rumo à neutralidade carbónica”.

“A ferrovia consome em média sete vezes menos energia e emite perto de nove vezes menos dióxido de carbono do que o transporte por rodovia”, lembrou o administrador portuário.

No porto de Leixões, que conta atualmente com cerca de seis quilómetros de vias-férreas no seu interior, a APDL ainda não administra o terminal ferroviário da Infraestrutuas de Portugal (IP), estando a aguardar pelo Governo, pensando Nuno Araújo que tal anúncio possa “estar para breve”.

Paralelamente, o porto de Leixões “tem atualmente em curso um plano de investimento que irá permitir duplicar a atual capacidade instalada na movimentação de contentores para cerca de 1,2 milhões de TEUs [unidade de medida]”, algo que “não poderá traduzir-se na mesma proporção ao nível do volume de camiões que hoje entram e saem” na infraestrutura.

“Tal seria incomportável, quer para a infraestrutura quer do ponto de vista ambiental. Como tal, a única forma de escoar este acréscimo de carga será inevitavelmente através da ferrovia”, salientou o responsável à Lusa.

Quanto ao outro porto administrado pela APDL, em Viana do Castelo, a administração portuária observa que este é “o único porto a nível nacional sem ligação ferroviária”, estando a “estudar todas as possibilidades que potenciem o porto e a região”.

“No âmbito da consulta pública no âmbito do Plano Ferroviário Nacional, a APDL manifestou o seu total empenho em materializar uma estratégia integrada de desenvolvimento territorial da região de Viana do Castelo, em colaboração com os parceiros que integram o Conselho Empresarial Estratégico” local, apontou.

Precisamente na linha do Minho, que serve Viana do Castelo, Nuno Araújo salientou que faltam “infraestruturas que permitam fazer o transbordo de mercadoria, promovendo a intermodalidade e integração de toda a cadeia logística”, apesar de já poderem circular composições com 750 metros.

Questionado sobre os projetos de alta velocidade a construir no Norte e no país, Nuno Araújo afirmou que possibilitarão “mitigar os constrangimentos de capacidade existentes, o que concorre para a diversificação e aumento das soluções logísticas à disposição de todos”.

A Portugal Railway Summit decorre no terminal de cruzeiros do porto de Leixões na segunda e terça-feira, e tem como convidados previstos, além de Nuno Araújo, os vice-presidentes da CP – Comboios de Portugal e da IP, respetivamente Pedro Moreira e Carlos Fernandes.

Também está prevista a presença do presidente da Metro do Porto, Tiago Braga, do Metropolitano de Lisboa, Vítor Domingues dos Santos, ou da presidente da Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT), Ana Paula Vitorino, entre outros agentes do setor, públicos e privados.

Recomendadas

Amazon abriu uma loja física para vender roupa

A loja Amazon Style, localizada em Los Angeles, aposta em inteligência artificial e outras tecnologias para ajudar os clientes a encontrarem o que procuram.

À procura de emprego? Beevo vai contratar 30 profissionais qualificados em tecnologia

A empresa tecnológica de Braga pretende recrutar gestores de projetos, designers, engenheiros Web, especialistas em SEO/SEM e “pensadores digitais”.

Novo Banco terá de cumprir requisitos de capital e passivos elegíveis de 23,16% em 2026

A instituição bancária indicou que foi notificada pelo Banco de Portugal relativamente aos requisitos de MREL (‘Minimum Requirement for own funds and Eligible Liabilities’), em base consolidada, conforme decisão do Conselho Único de Resolução”.
Comentários